Aproveitamento Hidroagrícola do Vale do Sorraia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Canal do Sorraia)
Ir para: navegação, pesquisa
Trecho do Canal do Sorraia

O Aproveitamento Hidroagrícola do Vale do Sorraia é um sistema de irrigação agrícola localizado em Portugal e, actualmente, é constituído pelo sistema de irrigação do Paul de Magos e o do Vale do Sorraia irrigando uma área de 16 351 hectares.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1933 iniciaram-se as obras do sistema de irrigação do paul de Magos através da construção da Barragem de Magos e do restante sistema de canais e valas de irrigação a cargo da Junta Autónoma das Obras de Hidráulica Agrícola (JAOHA). O sistema foi inaugurado em 1938. Mais tarde, em 1944, a propriedade do sistema foi transferido para a Associação de regantes e beneficiários do Paul de Magos. Em 1970, esta associação integrou-se na Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia. [1]

Em 1951 iniciaram-se as obras do sistema de irrigação do vale do Sorraia promovida pela Direcção-Geral dos Serviços Hidráulicos as quais foram concluídas em 1958. Em 1959 a propriedade de todo o sistema foi transferida para a Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia, onde se mantém até aos dias de hoje.

Localização[editar | editar código-fonte]

O Aproveitamento Hidroagrícola do Vale do Sorraia localiza-se nos concelhos de Ponte de Sor e Aviz do Distrito de Portalegre, nos concelho de Mora do Distrito de Évora e nos concelhos de Coruche, Benavente e Salvaterra de Magos do Distrito de Santarém

Canal do Sorraia - Distribuidor do Peso

Infra-estruturas[editar | editar código-fonte]

Actualmente o ˈˈˈAproveitamento Hidroagrícola do Vale do Sorraiaˈˈˈ possui as seguintes infra-estruturas[2][3]

  • 9 estações elevatórias;[4]
  • 383 km de Rede de distribuição, sendo 112.9 km de canais principais, 98.5 km de distribuidores e 171.6 km de valas de irrigação.[5]


Área irrigada e produtos cultivados[editar | editar código-fonte]

O sistema cobre uma área de 16 351 hectares e beneficia cerca de 1500 proprietários, sendo que, em média, são cultivados anualmente 12 200 hectares [6]. A capacidade útil de armazenamento das 3 barragens é de 326 600 000 m3 e, em média o consumo de água de rega situa-se em 146 000 000 m3 sendo as principais culturas o arroz com 44.7%,o Milho com 36.9% as forragens com 7.6% e o tomate com 6.8% da área cultivada.[7]

Referências

  1. Direcção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural (2001). «Aproveitamento Hidroagrícola do Vale do Sorraia». Consultado em 01 de Agosto de 2012  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. Direcção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural (2001). «Aproveitamento Hidroagrícola do Vale do Sorraia». Consultado em 01 de Agosto de 2012  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia (17 de Setembro 2009). «"Vale do Sorraia" Water management and agricultural project» (PDF). 20 páginas 
  4. Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia (17 de Setembro 2009). «"Vale do Sorraia" Water management and agricultural project» (PDF). 20 páginas 
  5. Associação de Regantes e Beneficiários do Vale do Sorraia (17 de Setembro 2009). «"Vale do Sorraia" Water management and agricultural project» (PDF). 20 páginas 
  6. «1º». Aproveitamentos Hidroagrícolas do Grupo II, em Exploração (PDF). Elementos Estatísticos 1986-2008 1ª ed. Lisboa: Direcção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural. 2009. p. 5-6. 244 páginas. ISBN 978-972-8649-93-7. ISSN 0872-3249 
  7. «1º». Aproveitamentos Hidroagrícolas do Grupo II, em Exploração (PDF). Elementos Estatísticos 1986-2008 1ª ed. Lisboa: Direcção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural. 2009. p. 5-6. 244 páginas. ISBN 978-972-8649-93-7. ISSN 0872-3249