Canal inguinal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Canal inguinal
Imagem frontal do abdômen, mostrando marcações superficiais para artérias e canal inguinal (canto inferior esquerdo.)
Imagem do escroto. No lado esquerdo, a cavidade da túnica vaginal foi aberta; no lado direito, apenas as camadas superficiais ao cremaster foram removidas.
Latim canalis inguinalis
Gray pág.1239
MeSH Inguinal+Canal

O canal inguinal é a passagem no interior da parede abdominal anterior na qual transitam, nos homens, o cordão espermático e, nas mulheres, o ligamento redondo do útero. O canal inguinal é maior e mais proeminente nos homens.

Limites[editar | editar código-fonte]

parede superior (teto):
Oblíquo interno
transverso abdominal
parede anterior:
aponeurose do músculo oblíquo externo
aponeurose do músculo oblíquo interno
(canal inguinal) parede posterior:
fáscia transversal
tendão conjunto
parede inferior (assoalho):
ligamento inguinal
ligamento lacunar

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Durante o desenvolvimento masculino, os testículos descem pelo canal inguinal até o abdômen, atingindo o escroto, a partir de seu ponto inicial perto dos rins.

Doenças[editar | editar código-fonte]

O canal inguinal raramente causa problemas médicos em mulheres devido ao seu tamanho reduzido. Em homens, pode ocorrer uma hérnia inguinal, na qual os conteúdos abdominais (geralmente o intestino) passam através da abertura do canal.

Elas podem ser hérnias inguinais diretas ou hérnias inguinais indiretas, dependendo se os conteúdos estão saindo diretamente pela parede abdominal, ou percorrendo o comprimento do canal inguinal, respectivamente.

Imagens adicionais[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]