Carlo Maria Pintacuda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Carlo Maria Pintacuda
Nascimento 18 de setembro de 1900
Florença
Morte 8 de março de 1971 (70 anos)
Buenos Aires
Nacionalidade Itália italiano
Argentina argentino
Ocupação Piloto de automóvel

Carlo Maria Pintacuda (Florença, 18 de setembro de 1900Buenos Aires, 8 de março de 1971) foi um piloto italiano, mais tarde naturalizado argentino.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Florença, Pintacuda foi um dos grandes pilotos da "Escola Florentina" junto com Emilio Materassi, Gastone Brilli-Peri, Clemente Biondetti e Giulio Masetti, ele venceu duas edições da famosa Mille Miglia, em 1935 e em 1937.

Em 1936 correu no Grande Prêmio do Rio de Janeiro no Circuito da Gávea; competiu ali com sua nova Alfa Romeo de 12 cilindros (ele havia competido pouco antes no GP da Tunísia com um modelo de 8 cilindros e ficara no segundo lugar);[1] onde protagonizou uma grande disputa com Manuel de Teffé, que acabou no terceiro lugar; ele chegou a liderar na 12ª volta, teve dois incidentes ao longo da prova e acabou parando na 20ª volta com o diferencial quebrado, vendo seu conterrâneo Vittorio Coppoli vencer.[2] Em seguida disputou o I GP Cidade de São Paulo, onde se acidentou gravemente a piloto francesa Hellé Nice (que, ainda assim, cruzou em quarto lugar) e que foi vencida por Pintacuda com grande folga sobre o segundo colocado, seu colega da Alfa Romeo Marignoni, e o terceiro, Teffé.[3]


Depois de se aposentar das pistas ele viveu na Argentina, onde abriu uma mercearia e veio a morrer, aos setenta anos de idade.

Referências

  1. s/a (5 de junho de 1936). «Os volantes Pintacuda e Marignoni no Rio». Correio de São Paulo (Nº 1219): pág. 1  (disponível na hemeroteca digital da [[Biblioteca Nacional (Brasil)|]])
  2. s/a (8 de junho de 1936). «Coppoli venceu a corrida da Gávea». Correio de São Paulo (Nº 1221): pág. 1 e 3  (disponível na hemeroteca digital da Biblioteca Nacional)
  3. s/a (13 de julho de 1936). «Luta de vida ou morte!». Correio de São Paulo (Nº 1250): pág. 2  (disponível na hemeroteca digital da Biblioteca Nacional)
Ícone de esboço Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.