Carlos Alberto Miller

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Carlos Alberto Miller
Nascimento
Rio Grande (Rio Grande do Sul)

Carlos Alberto Miller (Rio Grande, 12 de dezembro de 1855 — Rio Grande, 8 de maio de 1924) foi um poeta, jornalista, e compositor brasileiro.

Com a convenção de Itu tornou-se um republicano e abolicionista fervoroso.[1] Seguidor do positivismo, trabalhou no jornal Eco do Sul.[1] Foi também compositor, tendo deixado uma série de partituras, entre elas a Sinfonia Religiosa, dedicada a Augusto Comte, Avé, Clotilde!, Donna si Tanto Grande, entre outras.[1]

Ocupou diversos cargos públicos, entre eles: administrador da mesa de rendas do estado e diretor-geral da Cia. Fluvial em Porto Alegre.[1] Foi chefe-prático em Rio Grande e vereador, tendo sido presidente da câmara.[1]

É patrono da cadeira 13 da Academia Rio-Grandense de Letras.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Casuarinas, 1880
  • Contribuição do estudo do folclore

Referências

  1. a b c d e SPALDING, Walter. Construtores do Rio Grande. Livraria Sulina, Porto Alegre, 1969, 3 vol., 840pp.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.