Carpe diem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Carpe diem, num relógio de sol francês.

Carpe diem é parte da frase latina carpe diem quam minimum credula postero (literalmente: 'aproveita o dia e confia o mínimo possível no amanhã'), extraída de uma das Odes, de Horácio (65 a.C. - 8 a.C.), e tem numerosas traduções possíveis: "colhe o dia" (tradução literal), "desfruta o presente", "vive este dia", "aproveita o dia" ou "aproveita o momento". O poeta latino exorta sua interlocutora, Leuconoe, a desfrutar do prazer que a vida oferece, a cada momento. No contexto da decadência do Império Romano, a frase resumia o ideal horaciano, de origem estoico-epicurista, de aproveitar o que há de bom em cada instante, já que o futuro é incerto. Entretanto a frase é frequentemente repetida, com um sentido (inexato) de convite ao viver alegre e despreocupado.[1][2]



Origem[editar | editar código-fonte]

A frase é extraída de Odes I, 11.8, de Horácio. As Odes (em latim: Carmina), 103 poemas reunidos em quatro livros, foram dedicadas ao protetor do poeta, Mecenas. Os três primeiros livros foram publicados em 23 a.C., e o quarto, depois de 15 a.C..

Na ode 11 (8 versos) do livro I, o poeta direige-se a Leuconoe (a menina "dos pensamentos ingênuos"), enquanto ela se ocupa de cálculos astrológicos ("os números babilônicos") para saber se eles viverão muito tempo. O conselho dado pelo poeta é não se preocupar se viverão muito ou pouco mas beber e aproveitar o presente, pois o futuro é incerto : carpe diem.

Latim Português[3][4]
Tu ne quaesieris, scire nefas, quem mihi, quem tibi
finem di dederint, Leuconoe, nec Babylonios
temptaris numeros. ut melius, quidquid erit, pati.
seu pluris hiemes seu tribuit Iuppiter ultimam,
quae nunc oppositis debilitat pumicibus mare
Tyrrhenum: sapias, vina liques et spatio brevi
spem longam reseces. dum loquimur, fugerit invida
aetas: carpe diem quam minimum credula postero.
Tu não questiones — é crime saber — o fim que para mim, que para ti
os deuses reservaram, ó Leucônoe, nem mesmo consultes
os números babilônicos. Quão melhor é suportar o que quer que venha!
Quer Júpiter te haja concedido muitos invernos, quer seja o último
o que agora quebra as tirrenas ondas contra as pedras,
sejas sábia, diluas os vinhos e, por ser breve a vida,
limites a longa esperança. Enquanto falamos, foge invejoso
o tempo: aproveita o dia, minimamente crédula no amanhã.

Interpretação[editar | editar código-fonte]

A frase - extraída da Ode I, 11, de Horácio - resume o poema no qual o poeta busca persuadir Leucônoe a aproveitar o que de bom lhe oferece o momento presente, sem se preocupar com o tempo de vida que lhe resta ("quer Júpiter te haja concedido muitos invernos, quer seja o último").

Tornado célebre junto ao grande público desde a Antiguidade, o excerto carpe diem é objeto de uma má interpretação, frequentemente compreendido como uma simples incitação ao mais forte hedonismo, enquanto o texto original incita a bem saborear o presente, dado que o futuro é incerto e a vida é breve. Trata-se, portanto, de um hedonismo de ascese, de uma busca racional de prazer, no presente, e aceitação do futuro imprevisível.

Um dos autores que utilizaram esta linguagem foi Gregório de Matos Guerra (1636-1696) em suas líricas amorosas.[carece de fontes?]

Carpe diem na cultura popular[editar | editar código-fonte]

No cinema[editar | editar código-fonte]

No filme A Sociedade dos Poetas Mortos, o personagem de Robin Williams, Professor Keating, utiliza-a assim:

"Mas se você escutar bem de perto, você pode ouvi-los sussurrar o seu legado. Vá em frente, abaixe-se. Escute, está ouvindo? - Carpe - ouve? - Carpe, carpe diem, colham o dia garotos, tornem extraordinárias as suas vidas."

Nessa cena do filme, Keating está em frente a uma galeria de fotos de ex-alunos que formaram na tradicional escola Welton. Ele pede aos alunos que se aproximem da galeria para ouvirem os espíritos de seus predecessores a dizer: "carpe diem".

No filme "Poseidon", o personagem de Richard Dreyfuss, o arquiteto Richard Nelson, utiliza a palavra pedindo a seus colegas, sentados a uma mesa, que aproveitem o momento e esqueçam seus problemas.

Na música[editar | editar código-fonte]

  • A banda Metallica, no seu lançamento de 1997, "Reload", apresentou uma música "Carpe Diem Baby", que encoraja o ouvinte a "espremer e chupar o dia" (come squeeze and suck the day / Come Carpe Diem Baby).
  • A banda Dream Theater, em seu EP A Change of Seasons, presta uma homenagem à filosofia do Carpe Diem com sua música-título do disco, de 23:06 minutos, incluindo na letra trechos de falas do filme Sociedade dos Poetas Mortos.
  • A banda japonesa Yellow Generation possui um CD chamado Carpe Diem. No começo do refrão, a frase usada é To the Virgins, to Make Much of Time 命短し恋せよ乙女 (To the Virgins, to Make much of time, Inochi mijikashi, koiseyo otome) (Para as virgens, para aproveitarem o tempo, a vida é curta, portanto, se apaixonem, garotas)
  • A banda japonesa Aqua Timez possui um CD chamado Carpe Diem.
  • A banda inglesa Mott the Hoople tem um album chamado Carpe Diem.
  • A banda francesa de rock progressivo Carpe Diem
  • A banda brasileira Catedral possui uma música com o título Carpe Diem.
  • As bandas brasileiras Cueio Limão, Maieuttica e a Fresno também possuem uma música intitulada Carpe Diem
  • O músico português Rodrigo Leão compôs uma melodia de nome Carpe Diem.
  • A cantora latina Belinda lançou seu novo álbum também com o nome Carpe Diem, além da palavra estar presente na letra de "Dopamina".
  • A banda americana August Burns Red possui uma música com o título de Carpe Diem.
  • A banda americana Green Day possui uma música chamada Carpe Diem.
  • O álbum de 2000 da banda Pretty Maids tem o título e uma música com o nome Carpe Diem.
  • O grupo português Mind da Gap tem uma música intitulada de Carpe Diem, integrada no álbum A Essência, lançado em 2010.
  • O Cantor Norte - Americano Chris Brown Está em Uma Turnê Mundial Intitulada Carpe Diem.
  • O rapper paulistano Kamau, no seu EP "Licença Poética (Experimentos Pessoais) de 2015, tem uma faixa com título de Carpe Diem.

Referências

  1. (em italiano) Treccani. Vocabolario: carpe diem.
  2. «Significado de Carpe diem». Significados. 6 de junho de 2017. Consultado em 17 de julho de 2019 
  3. Penna, Heloísa; Júlia Avellar (orgs.) Odes e Canto Secular . Belo Horizonte: FALE/UFMG, 2014, pp 10-11.
  4. ACHCAR, Francisco. Lírica e lugar-comum: alguns temas de Horácio e sua presença em português. São Paulo: Edusp, 1994. p. 88

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Carpe diem