Cattleya velutina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Cattleya velutina
Cattleya velutina Orchi 1070.jpg
Classificação científica edit
Reino: Plantae
Clado: Tracheophytes
Clado: Angiospermas
Clado: Monocots
Ordem: Asparagales
Família: Orchidaceae
Subfamília: Epidendroideae
Gênero: Cattleya
Espécies:
C. velutina
Nome binomial
Cattleya velutina
Sinónimos

Cattleya tetraploidea Brieger, no replaced synonym ref.
Cattleya fragrans Barb.Rodr.
Cattleya alutacea velutina Barb.Rodr.
Cattleya alutacea Barb.Rodr.
Cattleya velutina punctata Regel
Cattleya velutina lietzei Regel
Cattleya velutina alutacea (Barb.Rodr.) Cogn.

Cattleya velutina é uma espécie de planta do gênero Cattleya e da família Orchidaceae.

Pertence ao subgênero Intermediae. Esta espécie é coletada sobretudo no Espírito Santo, porém também tem registros na Bahia e Rio de Janeiro. Em São Paulo, a literatura indica a existência de uma Cattleya velutina var. paulistana, que porém não tem descrição formal, e não foi encontrado qualquer material de herbário oriundo do estado de São Paulo. A espécie é facilmente reconhecida pela morfologia peculiar do labelo espalmado e colocação branco-amarelado com listas rosa-avermelhado. Floresce no final do verão, dezembro até março.[1]

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

A espécie foi descrita em 1870 por Heinrich Gustav Reichenbach.[1]

Os seguintes sinônimos já foram catalogados: [2]

  • Cattleya alutacea Barb.Rodr.
  • Cattleya alutacea velutina Barb.Rodr.
  • Cattleya fragrans Barb.Rodr.
  • Cattleya tetraploidea Brieger
  • Cattleya velutina alutacea (Barb.Rodr.) Cogn.
  • Cattleya velutina lietzei Regel
  • Cattleya velutina punctata Regel

Forma de vida[editar | editar código-fonte]

É uma espécie epífita e herbácea.[2] Suas raíses tem calibre de (11.80 ± 2.4 mm²).[3]

Conservação[editar | editar código-fonte]

A espécie faz parte da Lista Vermelha das espécies ameaçadas do estado do Espírito Santo, no sudeste do Brasil. A lista foi publicada em 13 de junho de 2005 por intermédio do decreto estadual nº 1.499-R.[4]

Distribuição[editar | editar código-fonte]

A espécie é endêmica do Brasil e encontrada nos estados brasileiros de Bahia, Espírito Santo e Rio de Janeiro.[2] A espécie é encontrada no domínio fitogeográfico de Mata Atlântica, em regiões com vegetação de floresta ombrófila pluvial.[2]

Notas[editar | editar código-fonte]

Contém texto em CC-BY-SA 4.0 de van den Berg, C. 2020. Cattleya in Flora do Brasil 2020.[1]

Referências

  1. a b c «Cattleya velutina». www.gbif.org (em inglês). Consultado em 18 de abril de 2022 
  2. a b c d «Cattleya velutina Rchb.f.». floradobrasil2020.jbrj.gov.br. Consultado em 18 de abril de 2022 
  3. Lana, Luísa Gouveia; Silva, Ana Flávia de Melo; Buss, Aldineia; Oliveira, Denis Coelho de; Moreira, Ana Silvia Franco Pinheiro (25 de janeiro de 2021). «Early development of epiphytic roots: perspectives based on the composition of the velamen cell wall». Acta Botanica Brasilica (em inglês): 633–644. ISSN 0102-3306. doi:10.1590/0102-33062020abb0140. Consultado em 25 de maio de 2022 
  4. «IEMA - Espécies Ameaçadas». iema.es.gov.br. Consultado em 12 de abril de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.