Centro social

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

No Brasil, um centro social é um imóvel gerido por entidade, geralmente uma associação, instituto ou afim, controlados por particulares, que promove ações consideradas como filantrópicas, seja na área da saúde, educação, cultura, lazer, entre outras.

Muitos centros sociais são ligados, ou mantidos diretamente por políticos, que os utilizam como instrumento para compra de votos[1] Por conta disso, a Justiça Eleitoral proíbe o funcionamento de tais centros durante o período eleitoral.[2]

Cientistas políticos apontam centros sociais como responsáveis por clientelismo e corrupção política.[3]

O conceito não deve ser confundido com os social centers e okupas, tais como o Rote Flora, que são entidades coletivistas, reguladas pelos próprios participantes, sem a intermediação da administração pública, de empresas ou de um proprietário.[4]


Referências

  1. G1 (17 de julho de 2014). «TRE-RJ fecha centros sociais que seriam mantidos por políticos» 
  2. O Globo (2012). «Candidatos dão jeitinho para manter centros sociais». Consultado em 17 de outubro de 2017 
  3. Paula Ferreira; O Globo (22 de julho de 2014). «Especialistas veem em centros sociais clientelismo e corrupção - Para eles, políticos se aproveitam da precariedade da rede pública». Consultado em 17 de outubro de 2017 
  4. milharal.org (11 de maio de 2017). «O que é um centro social? Ou sobre a Ingobernable (artigo traduzido)». Consultado em 17 de outubro de 2017