Chlorophytum borivilianum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde novembro de 2017).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.


Como ler uma infocaixa de taxonomiaChlorophytum borivilianum
Planta
Planta
Estado de conservação
Espécie em perigo crítico
Em perigo crítico
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Tracheophyta
Filo: Tracheophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Liliales
Família: Anthericaceae
Género: Chlorophytum
Nome binomial
C. borivilianum
Santapau & R.R.Fern.
Flores
Planta completa
Planta cultivada
Raiz usada em fitoterapia
Fazenda de cultivo da planta em Chhattisgarh-India

Chlorophytum borivilianum é uma erva com folhas lanceoladas, das florestas úmidas tropicais na área penínsular da Índia. O nome Hindi desta planta é safed musli.

É cultivado e comido como um vegetal de folha em algumas partes da Índia, e suas raízes são usadas medicinalmente como um tônico sexual sob o nome de safed musli. Seu valor medicinal pode derivar do seu conteúdo de saponina, que é de até 17 por cento em peso seco da raiz. Também foi sugerido recentemente que ele pode produzir um agente afrodisíaco. À medida que a demanda medicinal aumentou, a planta passou a ser cultivada. As saponinas e os alcalóides presentes na planta são a fonte das suas alegadas propriedades afrodisíacas.[1]

Na medicina tradicional da Índia é usado como Rasayan(termino do início da medicina ayurvédica, que significa a ciência do alongamento da vida útil) ou adaptógeno.[2]

Uso Fitoterápico[editar | editar código-fonte]

Estudo em ratos identificou os resultados positivos da Chlorophytum borivilianum na qual reverteu significativamente os níveis elevados de glicose plasmática, triglicerídeos, colesterol e corticosterona sérica e também reduziu o índice de úlcera, o peso da glândula adrenal mais efetivamente do que o medicamento padrão (diazepam) em ratos.[3] O efeito sobre o libido(afrodisíaco) foi avaliado em ratos sendo que teve uma ação afrodisíaca marcada, aumento da libido, vigor sexual e excitação sexual e aumento da contagem de espermatozoides nestes animais.[4]

Referências

  1. Oudhia, Pankaj. "Problems perceived by safed moosli (Chlorophytum borivilianum) growers of Chhattisgarh (India) region: a study." Proceedings of the national seminar on the frontiers of research and development in medicinal plants.. Vol. 22. No. 4a. 2000.
  2. F. Thakur M., Bhargava S., Dixit V.K. "Immunomodulatory activity of Chlorophytum borivilianum Sant." Evidence-based Complementary and Alternative Medicine. 4 (4) (pp 419-423), 2007
  3. Kenjale,, R D Shah,; R K Sathaye, S S (Nov 2007). «Anti-stress and antioxidant effects of roots of Chlorophytum borivilianum». CSIR. Indian Journal of Experimental Biology (IJEB). Vol.45(11) 
  4. Kenjale, Rakesh; Shah, Riddhi; Sathaye, Sadhana (1 de junho de 2008). «Effects of Chlorophytum borivilianum on sexual behaviour and sperm count in male rats». Phytotherapy Research (em inglês). 22 (6): 796–801. ISSN 1099-1573. doi:10.1002/ptr.2369 
Ícone de esboço Este artigo sobre plantas é um esboço relacionado ao Projeto Plantas. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.