Cidade dorme

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Cidade dorme, Vila dorme, Noite na vila ou Máfia[1] é um Jogo de mesa considerado clássico,[2] e que possui diversas versões, e adaptações, que podem ser desenvolvidas conforme a complexidade desejada e o número de jogadores envolvidos.[3]

É um jogo de interpretação, criado em 1986[4] por Dimitry Davidoff, então um estudante russo.[1] Embora seja vendido comercialmente, também pode ser reproduzido artesanalmente, dada sua simplicidade. É uma variação de outro jogo, chamado Werewolf,[5][4] e também se subdivide em muitas variações.[4] É considerado também similar a Detetive, assassino e vítima,[3] em que os Assassinos "matam" e eliminam outros jogadores com piscadas.[6] O número de participantes mínimo a ser necessário costuma ser de sete a dez, embora seja possível fazer adaptações para um número menor.[4]

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Um dos envolvidos deve ser o narrador, e usualmente este não deve assumir outros papeis, embora seja possível.[3] Após, são sorteadas cartas com o os personagens que cada um deverá interpretar, dependendo da versão, poderá haver cidadão, aldeões ou camponeses como a turma do bem dentro do jogo. O objetivo é que a turma do bem descubra quem é o assassino, lobo ou lobisomem.[3] Isto ocorre da seguinte forma: O narrador declara que a cidade dorme (ou que é noite na vila) e todos fecham os olhos. O narrador chama o assassino (Ou lobo/lobisomem) e ele escolhe alguém para matar. Depois o narrador diz para a cidade acordar (ou ser dia na vila) e todos acordam. O narrador elimina o participante que foi morto e todos tentam descobrir quem é o culpado pela morte. Pode ter um profeta, que acorda de madrugada e pergunta pra o narrador se alguma pessoa especifica é o assassino/lobo/lobisomem, ele faz isso todas as noites até descobrir. E de dia, ele ajuda a vila criando argumentos para matar o lobo que ele descobriu durante a noite.

Versão para WhatsApp[editar | editar código-fonte]

Durante a segunda metade da década de 2010, o jogo ganhou uma versão para aplicativos de mensagem instantânea para smartphones, tais como o WhatsApp.[7]

Recepção[editar | editar código-fonte]

O jogo já foi utilizado em tese acadêmica sobre construção coletiva de crítica e de práticas emancipatórias.[8]

Referências

  1. a b Dave McAwesome. «The Original Mafia» 
  2. Felipe Vinha (6 de janeiro de 2017). «Review Werewolves Within» 
  3. a b c d Por Patricia Camargo (19 de julho de 2018). «Cidade Dorme é um jogo que envolve os filhos de várias idades» 
  4. a b c d Ludopedia. «Cidade Dorme (2014)» 
  5. Ig. «LOBISOMEM» 
  6. works4weaks.com.br/ (18 de janeiro de 2012). «Aprenda a Jogar: Cidade Dorme». Consultado em 11 de agosto de 2013 
  7. Gabriel Francisco Ribeiro (18 de janeiro de 2018). «Choro e emoção: grupos de WhatsApp têm disputas animadíssimas de jogos do UOL» 
  8. Heitor Martins Pasquim. «Lazer na área de drogas: construção coletiva de crítica e de práticas emancipatórias»