Clark L. Hull

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde Abril de 2009). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Clark L. Hull
Nascimento 24 de maio de 1884
Nova Iorque
Morte 10 de maio de 1952 (67 anos)
New Haven
Cidadania Estados Unidos
Alma mater Universidade do Wisconsin-Madison, Universidade de Michigan
Ocupação psicólogo
Empregador Universidade Yale, Universidade do Wisconsin-Madison

Clark Leonard Hull (Akron, 24 de maio de 1884New Haven, 10 de maio de 1952) foi um influente psicólogo norte-americano. Estudou nas Universidades de Michigan e Wisconsin.

Doutorou-se nesta última em 1918 onde foi professor até 1929. Inspirando-se em Pavlov e Watson desenvolveu as concepções behavioristas clássicas fazendo intervir variáveis intermédias entre o estímulo e a resposta. Considerava que no processo de aprendizagem a variável intermédia seria a motivação. A sua concepção poderia ser expressa pela fórmula: Potencial de Reação = (Força do hábito x Impulso x Motivação) - Inibição. A aprendizagem seria assim um processo resultante de uma cadeia de condicionamentos em que o reforço, motivação, (encarado como a redução das necessidades) desempenha um papel fundamental. Assim não poderia haver aprendizagem sem motivação.

Considerava que, para além dos métodos tradicionais utilizados pela psicologia - observação, observação sistemática e método experimental, se deveria recorrer a métodos formais, isto é, deveriam ser introduzidos modelos matemáticos. Chegou a descrever processos de aprendizagem através de equações matemáticas.

Ele é talvez mais conhecido pelo efeito "gradiente de meta" ou hipótese, em que os organismos gastam quantidades desproporcionais de esforço nos estágios finais de obtenção do objetivo dos impulsos. Devido à falta de popularidade do [behaviorismo] em contextos modernos, ele é pouco referenciado hoje ou colocado entre colchetes como obsoleto.[1] No entanto, uma pesquisa da '[Review of General Psychology]' ', publicada em 2002, classificou Hull como o 21º psicólogo mais citado do século XX.[2]

As suas concepções estão expostas na sua vasta obra da qual se pode destacar: Principles of Behavior, The Essentials of Behavior e A Behavior System.

Referências

  1. The Goal-Gradient Hypothesis Resurrected: Purchase Acceleration, Illusionary Goal Progress, and Customer Retention Ran Kivetz, Columbia University
  2. Haggbloom, Steven J.; Warnick, Jason E.; Jones, Vinessa K.; Yarbrough, Gary L.; Russell, Tenea M.; Borecky, Chris M.; McGahhey, Reagan; et al. (2002). «The 100 most eminent psychologists of the 20th century». Review of General Psychology. 6 (2): 139–152. doi:10.1037/1089-2680.6.2.139