Classe Typhoon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Submarino classe Typhoon a caminho de missão.

"Typhoon" é uma classe de submarinos da União Soviética e posteriormente da Rússia.

Sobre o nome[editar | editar código-fonte]

Typhoon ( "inglês":Tufão) é o nome dado pela NATO a uma classe de submarinos portadores de mísseis balísticos com ogivas nucleares (SSBN) da Marinha Soviética (em russo: "Военно-морской флот СССР", "Voyenno-morskoy flot SSSR") nos anos 80.

O nome provem de um discurso de Leonid Brezhnev em 1974, em que utilizou a palavra "typhoon" ("тайфун") para descrever uma nova classe de SSBN. Na União Soviética, era designado por "Projecto 941" ou "Classe Akula" ("tubarão" em Russo).

Características[editar | editar código-fonte]

Com um deslocamento de 48.000 toneladas, são os maiores submarinos já construídos no mundo. Dos seis submarinos da classe, apenas o primeiro submarino da série, o RFS Dmitri Donskoi (TK-208) permanece em atividade na Marinha Russa ("Военно Морской Флот (ВМФ)"); "Voyenno Morskoy Flot" ("VMF")).

O nome "Akula" é utilizado pela NATO para designar a classe de submarinos a que os soviéticos chamavam Projecto 971 ou classe Shchuka-B ("Щука-Б"). Esses submarinos já foram o orgulho de guerra da Marinha Soviética: eles foram construídos com o melhor aço da União Soviética, mas devido à época em que a URSS estava se fragmentando política e economicamente, algumas unidades não foram entregues devido ao seu alto custo econômico, o que já era um problema para a URSS. Atualmente só sobraram três desses gigantes, dois dos quais estão sendo modernizados e um está ativo.

Livro[editar | editar código-fonte]

O autor Tom Clancy, em seu livro "A Caçada ao Outubro Vermelho" narra a jornada de um submarino russo da classe Typhoon, cujo capitão tenta desertar para os Estados Unidos.

Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.