Cneu Cornélio Dolabela (cônsul de 81 a.C.)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Cneu Cornélio Dolabela (em latim Gnaeus Cornelius Dolabella) foi um político romano do século I a.C., neto de Cneu Cornélio Dolabela, que ocupou o consulado em 81 a.C.

Era filho de Cneu Cornélio Dolabela, que foi assassinado em 100 a.C. com o tribuno da plebe Lúcio Apuleio Saturnino.

Durante a guerra entre Caio Mário e Lúcio Cornélio Sula apoiou este último e, em 81 a.C., foi eleito cônsul com Marco Túlio Decula. Porém, esse ano, com Sula ocupando a ditadura e monopolizando o poder todo, os cônsules eram apenas nominais.[1]

Venceu os Trácios em 78 a.C. Entre 80 a.C. e 77 a.C. foi procônsul e governador da Macedônia. Ao seu regresso foi acusado de extorsão pelo jovem Caio Júlio César, mas foi absolto após uma defesa realizada pelos melhores oradores da época: Caio Aurélio Cota (?) e Quinto Hortênsio.

Referências

  1. Cícero de Leg. Ayr. ii. 14 ; Gélio, xv. 28 ; Apiano, B. C. i. 100.
Precedido por
Cneu Papírio Carbão e Caio Mário, o Jovem
Cônsul da República Romana
Marco Túlio Decula
80 a.C.
Sucedido por
Lúcio Cornélio Sula e Quinto Cecílio Metelo Pio