Colégio Romano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O Colégio Romano remonta ao ano de 1551, ou seja, um ano após a fundação da Companhia de Jesus por Santo Inácio de Loyola. Seu objetivo era cobrir todo o arco escolástico da vida de um estudante, desde os estudos elementares até os universitários. Inicialmente ocupa uma construção ao pé do Campidoglio e com seu progressivo crescimento Gregório XIII construirá sua sede definitiva no local hoje conhecido como Praça do Colégio Romano.

História[editar | editar código-fonte]

Inácio de Loyola cria em 1549 o colégio de Messina iniciando um novo apostolado para os jesuítas: o ensino. Em parte para suprir a carência de escolas da época, em parte para dar melhor formação ao clero, seja secular ou regular. Assim nasce o Colégio Romano. Tal foi possível graças a uma doação feita por Francisco Borgia. Em 1551 o Colégio era apenas uma pequena casa ao pé do Campidoglio. Sobre a porta encontrava-se a inscrição: Escola de Gramática, Humanidades e Doutrina Cristã. Logo percebeu-se que o espaço era exíguo para a demanda que se apresentava e então Inácio começa a pensar em um novo prédio, mais adequado a um maior número de alunos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre instituição de ensino superior é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.