Comando Geral dos Trabalhadores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

.

O Comando Geral dos Trabalhadores (CGT) foi uma organização intersindical brasileira, cujo objetivo era orientar, dirigir e coordenar o movimento sindical no Brasil. Foi criado em São Paulo, no ano de 1962, durante o IV Congresso Sindical Nacional dos Trabalhadores, e reunia vários sindicatos, federações e confederações. No entanto, nunca foi reconhecido pelo Ministério do Trabalho e acabou sendo desarticulado por ocasião do golpe militar de 1964.

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Em meados da década de 1940 foi criado o Movimento Unificador dos Trabalhadores (MUT) sob a liderança do PCB, que se desenvolveu durante a preparação do congresso sindical dos trabalhadores do Brasil. Nesse congresso destacaram-se duas correntes do movimento sindical: uma era ligada ao Ministério do Trabalho, chamada “ministerialista”; a outra, ligada à Confederação dos Trabalhadores do Brasil (CTB) e ao PCB. A conjuntura político-econômica, era extremamente favorável à manifestação de reivindicações trabalhistas. No entanto, a luta pelo controle e domínio do movimento sindical brasileiro suscitou divergências entre os trabalhadores.

O Comando Geral dos Trabalhadores surgiu nos anos 1960, numa conjuntura de grande instabilidade política e social no Brasil, marcada por ampla mobilização popular em torno de propostas de reformas políticas e econômicas.


Ícone de esboço Este artigo sobre sindicalismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Ícone de esboço Este artigo sobre História do Brasil é um esboço relacionado ao Projeto História do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.