Cratylia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaCratylia
Taxocaixa sem imagem
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Fabales
Família: Fabaceae
Género: Cratylia
Espécies

Cratylia é um género botânico pertencente à família Fabaceae. É uma planta perene, ou seja, mantém parte de sua estrutura aérea todos os anos e dá fruto em estações propícias. Se considera a Cratylia como um gênero neotropical de origem recente, cuja distribuição natural se situa ao sul da bacia do rio Amazonas e ao leste da cordilheira dos Andes, englobando partes do Brasil, Peru, Bolívia e a bacia do rio Paraná ao nordeste da Argentina.

A taxonomia do gênero Cratylia se encontra em um processo de definição. É conhecido cinco espécies diferentes: C. bahiensis, C. hypargyrea, C. intermedia, C. mollis e C.argentea. A diferença entre as espécies foi alcançada tomando como base as características morfológicas vegetativas e sua localização geográfica, devido ao fato de que não existem estudos recentes da reprodução e hibridização que permitam uma classificação de espécies. Em geral é uma planta arbustiva que alcança entre 1,5 a 3,0 m de altura. Suas folhas são trifoliadas e estipuladas; os folíolos são membranosos ou coriáceos com os das laterais ligeiramente assimétricos; a inflorescência é um pseudorácimo noduloso com seis a nove flores por nódulo; as flores variam entre 1.5 e 3 cm com pétalas de cor violeta e o fruto em um legume que contém de 4 a 8 sementes em forma lenticular, circular ou elíptica.[1]

Entre as espécies algumas diferenças são observadas: a Cratylia mollis e a C. argentea possuem crescimento similar e são consideradas espécies com um grande potencial forrageiro. Em contraste a C. bahiensis, C. hypargyrea e a C. intermedia não possuem tanto potencial para servir como forragem, porém podem servir com fontes valiosas de genes para adaptação em solos salinos ou tolerância a geadas.[1]

A Cratylia argentea vem sendo muito utilizada em consorciação de culturas para alimentação de bovinos de produção, principalmente em regiões tropicais, onde estão sendo utilizadas como uma opção para amenizar o problema da falta de pastagens de qualidade na época de seca. O interesse veio da sua extrema adaptação em solos ácidos e alta tolerância a seca.[2] Além disso, a leguminosa possui uma grande capacidade de fixação de nitrogênio ao solo, o que ajuda no recuperação de pastagens degradadas, e a composição química de forragem é maior que muitas gramíneas na época de seca. [3]

Referências

  1. a b «Cratylia argentea: Una nueva leguminosa arbustiva para solos ácidos em zonas subhúmedas tropicales» (PDF) 
  2. XAVIER, Deise Ferreira; CARVALHO, Margarida Mesquita; BOTREAL, Milton de Andrade (1995). Cratylia argentea: informações preliminares para sua utilização como forrageira. Minas Gerais: CNPGL-ADT. 07 páginas 
  3. RAMOS, Allan Kardec Braga (2003). «Algumas informações sobre a produção e o armazenamento de sementes de Cratylia argentea» (PDF). Embraba Gado de Leite. Consultado em 11 de janeiro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre leguminosas (família Fabaceae), integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.