Cruz Vitória (Nova Zelândia)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cruz Vitória da Nova Zelândia
Victoria Cross for New Zealand
Face da cruz. Fita: 32 mm, carmesim
Classificação
Outorgante Nova Zelândia
Tipo Condecoração Militar
Agraciamento ...bravura notável, ou por algum acto de valor ou de auto-sacrifício, ou extrema devoção na presença do inimigo.
Condição no activo
Histórico
Criação 20 de Setembro de 1999
Primeira concessão 2 de Julho de 2007
Última concessão 2007
Premiados 1
Hierarquia
Inferior a nenhuma
Equivalente a Cruz da Nova Zelândia
Superior a Estrela de Bravura da Nova Zelândia

A Cruz Vitória da Nova Zelândia (CV)[1] é uma condecoração militar concedida por valor "na presença do inimigo" aos membros das forças armadas da Nova Zelândia. Pode ser atribuída a um militar de qualquer posição, em qualquer serviço, e a civis sob comando militar, pelo Governador-geral da Nova Zelândia durante a cerimónia de investidura que tem lugar na Casa do Governo, em Wellington. É a condecoração mais alta da Nova Zelândia e precede sobre toas as outras medalhas.

A CV foi criada em 1999 quando a Nova Zelândia criou o seu próprio sistema de condecorações que veio substituir a generalidade das honras da Commonwealth. Até à data (2011), foi apenas concedida uma vez, em 2 de Julho de 2007, ao cabo Willie Apiata pelo seu desempenho na Guerra do Afeganistão em 2004.

A Cruz Vitória original foi criada em 1856 pela rainha Vitória com o objectivo de reconhecer actos de valor durante a Guerra da Crimeia. A medalha foi atribuída 24 vezes a militares neozelandeses; o capitão Charles Upham recebeu a barra. Apenas 14 medalhas foram concedidas desde o fim da Segunda Guerra Mundial. Pensa-se que medalha é feita com o bronze dos canhões russos capturados no cerco de Sebastopol. Pesquisas recentes têm levantado suspeitas sobre esta história, o que sugere origens diversas para o material que compõe as medalhas.[2]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências