David Gates

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste(a) artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
David Gates
David Gates em 1975
Informação geral
Nome completo David Ashworth Gates
Nascimento 11 de dezembro de 1940 (76 anos)
Local de nascimento Tulsa, Oklahoma
Estados Unidos
Gênero(s) Rock and roll, soft rock, country, pop, adult contemporary
Ocupação(ões) Cantor, compositor e produtor musical
Instrumento(s) Guitarra, piano, baixo, teclados, violino e percussão
Período em atividade 1957–2008
Gravadora(s) A&M, Elektra
Afiliação(ões) Bread

David Ashworth Gates (Tulsa, 11 de dezembro de 1940) é um cantor, compositor e produtor musical norte-americano, ex-integrante da banda Bread. Ele e Robb Royer (um dos co-fundadores) são os únicos sobreviventes do grupo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Vocalista e tecladista do Bread, Gates sempre esteve rodeado pela música, sendo excelente pianista, baixista e guitarrista durante a escola secundária.

Em 1957, seu primeiro êxito, Jo-Baby, foi registrado por Chuck Berry. David, então com 16 anos, a escreveu para sua namorada Jo Rita, com quem ele se casou e teve filhos enquanto estudavam na Universidade de Oklahoma.

Em 1961, se mudou com a família para Los Angeles, principiando uma carreira como compositor e produtor. No final dos anos 60 colaborou com Elvis Presley, Bobby Darin, Merle Haggard e produziu em 1965 o hit de Glenn Yarborough, Baby, The Rain Must Fall.

Em 1968, cria a banda que chegaria às paradas de sucesso mundiais e do grupo faziam parte ainda Jimmy Griffin (10 de agosto de 1943 – 11 de janeiro de 2005), Robb Royer (6 de dezembro de 1942), mais tarde o baterista Mike Botts (8 de dezembro de 1944 - 9 de dezembro de 2005), e o tecladista Larry Knechtel (4 de agosto de 1940 - 20 de agosto de 2009).

Em 1973, após inúmeros desentendimentos entre Griffin e Gates, a banda se separa e seus integrantes seguem carreira solo em diferentes direções. Contudo, nenhum deles alcançou separadamente o sucesso da união de antes. Em 1977 a banda volta a se reunir e lançou aquele que seria seu último álbum (Lost Without Your Love) que foi bem recebido pela crítica e público.

David Gates lançou seus próprios álbuns, First e Never Let Her Go, em 1975, Goodbye Girl, em 1978, Falling In Love Again, em 1980, Take Me Now, em 1981, e Love Is Always Seventeen, em 1995.

Várias de suas canções foram gravadas por artistas como Julio Iglesias e Boy George. Everything I Own é uma homenagem a seu pai, que foi a sua maior influência e principal incentivador. Foi gravada por The Kendalls & Joe Stempley de Nashville.

Sua incrível habilidade e versatilidade como compositor o levou por vários gêneros musicais. David Gates continua a escrever e produzir no estúdio de gravação que possui em sua fazenda na Califórnia. Um dos seus principais sucessos após deixar o grupo é Take me Now (integrou a trilha sonora internacional da novela Brilhante, da Rede Globo), além de Goodbye Girl, que deu o Oscar de melhor ator para Richard Dreyfuss, em filme homônimo.

David Gates já participou de dois álbuns da consagrada banda brasileira Roupa Nova; no disco Através dos Tempos, de 1997, o cantor fez dueto com o sexteto carioca na música De Ninguém, versão de The Guitar Man da banda Bread; no disco Natal Todo Dia, de 2007, foi a vez dele participar de Volte Neste Natal.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns Solo[editar | editar código-fonte]

  • 1973: First
  • 1975: Never Let Her Go
  • 1978: Goodbye Girl
  • 1979: Falling in Love Again
  • 1981: Take Me Now
  • 1995: Love is Always Seventeen
  • 2002: The David Gates Songbook

Bread[editar | editar código-fonte]