DeLorean máquina do tempo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
DeLorean máquina do tempo
Criado(a) por Ron Cobb, Michael Scheffe e Andrew Probert
Aparições
Gênero(s) Ficção Científica

O DeLorean máquina do tempo (em inglês: DeLorean Time Machine) é o dispositivo usado para viajar no tempo na trilogia Back to the Future. É pilotado por Emmett Brown, seu inventor, ou Marty McFly, seu amigo.

Introdução[editar | editar código-fonte]

A máquina é um automóvel DeLorean DMC-12 modificado para funcionar como uma máquina do tempo. O Doutor Emmett Brown a classifica como sua invenção mais bem-sucedida. No segundo filme o carro possui a habilidade de voar.

Combustível[editar | editar código-fonte]

O DeLorean máquina do tempo funciona com dois combustíveis diferentes. O primeiro é a gasolina —que é o combustível do motor do próprio carro— e o segundo é o plutônio (no primeiro filme), necessário para que a máquina do tempo gere uma corrente de 1,21 gigawatts de energia, este último é o que faz funcionar os circuitos de tempo e o capacitor de fluxo. O reator de plutônio foi substituído no segundo filme por um reator Mr. Fusion no ano 2015, para substituir o plutônio, uma vez que este novo reator trabalha com lixo doméstico, ao contrário do plutônio que é muito difícil de obter.

História[editar | editar código-fonte]

Criação[editar | editar código-fonte]

Na ficção, a máquina do tempo foi criada pelo Doutor Emmett Brown,[1] depois de ter a ideia do capacitor de fluxo em 5 de novembro de 1955 em sua casa após uma queda. Emmett passou 30 anos estudando como fazer o dispositivo e completou a máquina do tempo em 1985. Na vida real, a máquina foi projetada por Ron Cobb, Michael Scheffe e Andrew Probert.[2]

A principal razão pela qual o DeLorean foi escolhido foi porque o carro estava idealmente projetado para incluir a piada sobre a família de fazendeiros que o confundem com uma nave espacial no primeiro filme.[3]

O primeiro teste[editar | editar código-fonte]

Doutor Brown revelou sua invenção a seu amigo, Marty, no Twin Pines Mall (Shopping Pinheiros Gêmeos) na madrugada de 26 de outubro de 1985. Para o primeiro teste, Emmett Brown usou seu cão, Einstein, mandando-o um minuto para futuro. Marty estava filmando a cena e viu com seus próprios olhos, ao lado do Doutor, o carro desaparecer, deixando duas trilhas de fogo (onde as rodas continuariam rodando) para trás que passam por baixo de Marty e Emmett, completando a sequência de deslocamento temporal. Marty estava indignado e achava que Einstein havia sido desintegrado. O Doutor explica a ele que nada foi desintegrado e que Einstein acaba de se tornar o primeiro viajante no tempo. O carro volta, congelado ao mesmo local de onde havia partido. O Doutor Brown diz que a viagem para o cão foi instantânea e demonstra o funcionamento da máquina do tempo, dizendo que são necessários 1,21 gigawatts de eletricidade para o deslocamento temporal ser possível e que o carro precisa estar a 88 milhas por hora (141,6 km/h). Emmett digita datas aleatórias no mostrador "Data de Destino"(Destination Time). Eles recarregam a máquina e percebem a chegada de terroristas líbios cujo plutônio havia sido roubado pelo Doutor e o assassinam. Marty escapa com o DeLorean indo para 5 de novembro de 1955, data em que o Doutor Brown teve a ideia do capacitor de fluxo.

Preso em 1955[editar | editar código-fonte]

Marty se encontra na fazenda Peabody e sai rapidamente depois de quase ser atingido por Otis Peabody. Marty esconde a máquina do tempo perto de onde seria sua casa em 1985 e vai a cidade. Ele comete um acidente e faz com que sua mãe se apaixone por ele e não pelo seu pai. Marty procura ajuda do Doutor Brown de 1955 para voltar ao futuro. Primeiramente, Emmett não acredita que ele tenha vindo do futuro, porém Marty o convence dizendo como teve a visão do capacitor de fluxo. Os dois levam a máquina do tempo a casa do Doutor e veem a fita que Marty filmou em 1985 no primeiro teste. Eles percebem que Marty está preso em 1955 pois é praticamente impossível encontrar plutônio na época, consequentemente, não é possível gerar a energia para a viagem no tempo.

O raio na torre do relógio[editar | editar código-fonte]

O tribunal de Hill Valley.

Marty lembra que pegou um panfleto no dia anterior a primeira viagem no tempo que diz que em 12 de novembro de 1955 vai cair um raio na torre do relógio do tribunal. Emmett monta um plano para transmitir a energia do raio ao carro: ele coloca um fio que se conecta desde a torre do relógio até passar entre dois postes e coloca um cabo no DeLorean. Ao longo da semana, Marty conserta o problema que criou na história de seus pais. A hora do experimento chega. O cabo do carro ao atingir o fio a 88 milhas por hora no instante em que o raio atinge a torre transmite a corrente elétrica ao DeLorean, fazendo com que ele viaje no tempo e mande Marty de volta ao presente.

De volta a 1985[editar | editar código-fonte]

Para salvar o Doutor de sua morte Marty enviou uma carta ao Emmett do passado, porém com medo de alterar fatos futuros ao ter aquela informação Emmett a rasgou. Marty, pensando que a carta havia sido rasgada, altera sua data de destino para 11 minutos antes de sua partida do presente ao passado. Mesmo assim, quando chega a 1985, o Doutor já foi baleado. Marty pensa que ele está morto, porém ele se levanta e lhe mostra um colete a prova de balas e a carta que Marty lhe enviou remendada com fita adesiva. O Doutor diz que pensou melhor e correu o risco de ler a carta. Emmett deixa Marty em sua casa e vai 30 anos no futuro (seu desejo desde o início). Na manhã seguinte, Marty percebe que fez a história acontecer de um jeito diferente e que sua família mudou para melhor, incluindo o relacionamento com Jennifer, sua namorada. Quando eles vão se beijar, Doutor aparece e diz que eles tem que ir para o futuro. Todos entram no carro e Marty fala:

Marty: Doutor, recua mais. A rua não dá para chegar a velocidade necessária!

Doutor: Ruas? Para onde vamos não precisamos de ruas!

As rodas do DeLorean viram de lado e o carro levanta voo, levando Doutor, Marty e Jennifer ao futuro.

Componentes[editar | editar código-fonte]

Capacitor de fluxo[editar | editar código-fonte]

Imagem do capacitor de fluxo.

O capacitor de fluxo é a principal parte da máquina do tempo. É descrito pelo Dr. Emmett Brown como "o que faz a viagem no tempo possível". Com ele conectado aos circuitos de tempo e energizado com 1,21 gigawatts, ao chegar a 88 milhas por hora, o objeto conectado a ele viaja no tempo. Sua forma é a de um "Y" com energia que flui dentro das linhas do "Y". Doutor Brown teve a visão dele em 5 de novembro de 1955, quando estava em cima da privada de sua casa pendurando um relógio e bateu com a cabeça na pia. Quando acordou, surgiu na sua cabeça a imagem do capacitor de fluxo.

Circuitos de tempo[editar | editar código-fonte]

Imagem dos circuitos do tempo.

É o painel que controla a data para onde o capacitor de fluxo levará a máquina do tempo. O painel é subdividido em três partes: a data de destino, a data do presente e a última data onde a máquina do tempo esteve. Cada subdivisão tem, de esquerda para direita, os seguintes dados: o mês, o dia, o ano, a hora e o minuto (como o horário norte-americano é divido em duas partes do dia, o "AM" e o "PM", esse dado está contido em 2 luzes entre o ano e a hora: se a luz de cima acender, significa que é o período "AM" do dia e, se a de baixo acender, é o período "PM" do dia. Porém, para digitar uma data à tarde, como por exemplo "1:00 PM", a pessoa teria de digitar 1300 para representar a hora a mais depois das "12:00 AM"). Cada linha de dados possui uma cor.

Data de exemplo:

Mês Dia Ano AM/PM Hora Minuto
OCT 26 1985 AM
0
PM

01 24
NOV 12 1955 AM

PM
0
10 04
OCT 26 1985 AM
0
PM

01 35

Mr. Fusion[editar | editar código-fonte]

Imagem do reator Mr. Fusion.

Mr. Fusion (Senhor Fusão) é a fonte de energia do DeLorean a partir do segundo filme. O dispositivo converte lixo doméstico em energia para o capacitor de fluxo e os circuitos de tempo por meio de fusão nuclear, gerando 1,21 gigawatts. Ele substitui o plutônio que energizava esses dispositivos no primeiro filme.

Circuitos de voo[editar | editar código-fonte]

Somente usados durante Back to the Future Part II, os circuitos de voo são um dispositivo inserido no carro que o permite voar depois da Hover Conversion (conversão aérea). O dispositivo não é visível durante o filme, porém é mencionado quando o Doutor Brown de 1955 lê a carta que mandou (ou mandará) a Marty e faz referência no trecho abaixo:

Doutor de 1955: ...e destruiu os circuitos de voo. Infelizmente, o carro jamais voará de novo.

Referências

  1. Back to the Future. IMDb. Consultado em 24 de outubro de 2020.
  2. 25 curiosidades que seguro no sabías del DeLorean de Regreso al Futuro (em castelhano). www.motor.es. Consultado em 13 de setembro de 2020.
  3. Back To The Future: Ten Things To Know About The Movie (em inglês). Movie Fanfare. Consultado em 25 de outubro de 2020.