Dick Rowland

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Dick Rowland (1902) foi um negro estadunidense e engraxate de sapatos que, seguido da sua prisão em maio de 1921, foi um dos impulsionadores da Rebelião Racial de Tulsa em 1921. Quando preso por tentativa de assalto, Rowland tinha 19 anos de idade. A adolescente branca, que supostamente havia sido atacada, não quis continuar com as acusações.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O nome de nascimento de Rowland era Jimmie Jones.[1] É desconhecido o seu local de nascimento, mas por volta de 1908 ele e suas irmãs era órfãos vivendo em Vinita, Oklahoma. Jones foi informalmente adotado por Damie Ford, uma mulher afro-americana. Aproximadamente em 1909, Ford e Jones mudaram-se para Tulsa, Oklahoma, para juntar-se com a família de Ford, os Rowlands. Eventualmente, Jones tomou Rowland como seu último nome, e escolheu o seu primeiro nome favorito, Dick. Rowland frequentava as escolas segregadas, incluindo a Booker T. Washington High School.[2]

Ele acabou por abandonar a escola para trabalhar engraxando sapatos em um estabelecimento de propriedade e frequentado por homens brancos na avenida principal da cidade, no centro de Tulsa. Como Tulsa era uma cidade segregada, onde as Leis de Jim Crow estavam em vigor, as pessoas negras não eram autorizadas a utilizar as instalações sanitárias utilizadas por pessoas brancas. Não havia nenhuma instalação separada para negros no salão onde Rowland trabalhava e o proprietário tinha arranjado para os empregados pretos um banheiro para usar no piso superior do edifício nas proximidades do local.

Em 30 de maio de 1921, Rowland tentava entrar no elevador do prédio e, embora os fatos exatos sejam desconhecidos ou disputados, de acordo com os relatos mais aceitos, ele tropeçou e, tentando não cair, agarrou-se na primeira coisa que ele pode, que passou a ser o braço da operadora de elevador, Sarah Page, então com 17 anos de idade. Assustada, a operadora de elevador gritou e um funcionário branco de uma loja do primeiro andar chamou a polícia para relatar ocorrido, tendo Rowland fugido do local em seguida. O secretário branco no primeiro andar relatou o incidente como uma tentativa de assalto.

Rowland foi preso no dia seguinte, em 31 de maio de 1921. As ações subsequentes por cidadãos brancos em uma aparente tentativa de linchar Rowland, e por cidadãos pretos tentando protegê-lo, provocou um tumulto que durou 16 horas e causou a destruição por mais de 35 quarteirões da cidade e 1.256 residências em um próspero bairro Afro-americano de Tulsa, e mais de 800 ferimentos e as mortes de 300 pretos e 13 brancos.[3]

O caso contra Dick Rowland foi arquivado no final de setembro de 1921. O arquivamento seguiu da recepção de uma carta do advogado do condado que defendia Sarah Page onde afirmava que a mesma não queria continuar com as acusações.

Segundo Damie Ford, quando Rowland foi libertado ele imediatamente deixou Tulsa, e foi para Kansas City. [1] Pouco mais se sabe publicamente sobre o restante de sua vida.


Referências[editar | editar código-fonte]