Disco protoplanetário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disco protoplanetário HH-30 em Taurus. O jato estrelar vermelho é uma estrutura comum destas formações.

Um disco protoplanetário é um disco de material (cuja composição teorizada é de 99% gás, e 1% de material sólido, na forma de pó) em órbita de torno de uma estrela recém-formada, tipo T Tauri ou Herbig.[1]

Formação[editar | editar código-fonte]

Em protoestrelas muito jovens a estrelas de pouca massa, constituídas principalmente de poeira e gás,cujo através do processo de colapso gravitacional e a conservação do momento angular, nuvem ou nuvens de gases moleculares e poeira se aglutinam-se, formando materiais mais densos. Uma vez, iniciado o processo de formação de materiais mais densos, estará dado o inicio ao processo de formação de futuros planetas, asteróides e todos os tipos de objetos estrelares que encontramos em nosso sistema solar.[2]

Química[editar | editar código-fonte]

O disco protoplanetário tem uma química influenciada através das radiações e temperatura radiada pela protoestrela. A radiação UV e raio x, ionizam as nuvens de gases em níveis diferentes, conforme a distância e obstrução a fonte de radiação. Essa iteração, ioniza parte das moléculas e induz a química do tipo íon-molécula, neutro-neutro, recombinação dissociativa [nota 1] entre outras. A temperatura, quando suficiente, fornece energia para a reorganização das moléculas mudando o estado amorfo para o cristalino.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Reconbinação dissociativa, é uma reação em que um íon molecular recombina-se com um elétron e forma dois produtos neutros como .

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Portal A Wikipédia possui o portal:
Ícone de esboço Este artigo sobre astronomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.