Edna Lott

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Edna Marília Lott de Moraes Costa (?, 1919 - Lambari, 10 de junho de 1971) foi uma política brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Segunda filha do Marechal Lott, estudou na Faculdade Nacional de Educação, formando-se professora de Geografia e História. Foi casada com o militar Oscar de Moraes Costa, com quem teve quatro filhos, um dos quais, Nelson Luiz Lott de Moraes Costa, entrou para a ALN durante a ditadura militar[1].

Entrou para a política trabalhando na campanha do seu pai nas eleições para a presidência em 1960. Em 1962, candidatou-se à Assembleia Legislativa do Estado da Guanabara pelo PTB. Foi eleita com os votos das professoras e se destacou como uma das poucas mulheres no plenário. Na eleição seguinte, já pelo MDB, obteve um resultado ainda mais expressivo, sendo reeleita com 29 mil votos[2]. Integrou a Assembléia Constituinte que promulgou a segunda Constituição do Estado da Guanabara, em 1967[3].

Mandato cassado pela Ditadura Militar[editar | editar código-fonte]

Seu mandato foi cassado em 20 de outubro de 1969[4].

Assassinato[editar | editar código-fonte]

Foi assassinada em 1971 pelo seu motorista e secretário Eduardo Fernandes[5]. O assassinato foi considerado pela polícia e pela imprensa como um crime passional, mas parentes e companheiros políticos afirmaram que a ex-deputada foi morta por denunciar a tortura entre os militares[6].

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • WILLIAM, Wagner. O Soldado Absoluto - uma biografia do Marechal Henrique Lott. Editora Record, Rio de Janeiro, 2005. ISBN 85-01-06781-4
  • MOTTA, Marly Silva da. Saudades da Guanabara: o caso político da cidade do Rio de Janeiro (1960-1975). Editora FGV, Rio de Janeiro, 2000. ISBN 85-01-06781-4

Referências

  1. COSTA, Felipe Varzea Lott de Moraes. Entre dois amores: Ethos familiar e política na experiência de Edna Lott. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) – Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Departamento de Ciências Sociais, 2016. P. 7
  2. Artigo: O assassinato da deputada Edna Lott. Gazeta Guaçuana, 30 de setembro de 2017
  3. Constituição do Estado da Guanabara. FGV
  4. Projeto de Resolução Nº 1142/98. Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro
  5. Assassinada a ex-deputada Edna Lott. Correio da Manhã, 11 de junho de 1971. P. 6
  6. CARLONI, Karla Guilherme. Militares de Esquerda e o Regime Militar: “Marechal da Legalidade” na Defesa da Democracia. Revista Crítica Histórica Ano V, nº 10, dezembro/2014 ISSN 2177-9961. P. 171