Eduardo dos Santos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o futebolista brasileiro, veja Eduardo Ribeiro dos Santos.
Eduardo Ribeiro dos Santos
Nome completo Eduardo Ribeiro dos Santos
Pseudónimo(s) Edurisa
Nascimento 10 de junho de 1893
Bonfim
Morte 16 de janeiro de 1946 (52 anos)
Porto
Nacionalidade Portugal portuguesa
Ocupação Jornalista e escritor

Eduardo Ribeiro dos Santos, igualmente conhecido como Eduardo dos Santos ou pelo pseudónimo Edurisa (Bonfim, 10 de Junho de 1893[1] - Porto, 16 de Janeiro de 1946), foi um jornalista e escritor português[2].

Carreira[editar | editar código-fonte]

Desde novo que tinha revelado uma vocação para as letras, pelo que começou a publicar obras poéticas e literárias em diversos periódicos no Porto.[1] Posteriormente, começou a redigir crítica teatral, com o pseudónimo Edurisa, tendo-se destacado nesta matéria.[1] Também foi um cronista sobre as artes plásticas, o cinema e a literatura.[1]

Como representante do periódico O Comércio do Porto, acompanhou uma vez o chefe de estado na sua viagem ao Ultramar.[1] Exerceu, igualmente, como secretário em vários jornais, como director dos semanários O Radium, O Eco, e A Troça, e foi cronista-correspondente do Diário de Lisboa no Porto.[1]

Como escritor, deixou várias obras publicadas, tendo deixado por acabar o livro Portugal Eterno, sobre as comemorações centenárias.[1]

Falecimento e vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Faleceu no dia 16 de Janeiro de 1946, no Porto; contava com 52 anos de idade.[1] Quando morreu, já era viúvo, tendo dois filhos, Maria Eduarda de Sousa Delgado da Silva Ribeiro dos Santos, e Fernando Eduardo de Sousa Delgado da Silva Ribeiro dos Santos.[1] Era irmão de Albertina Ribeira dos Santos.[1]

Obras publicadas[1][editar | editar código-fonte]

  • Rábulas sobre gente e cousas de teatro
  • Lourdes
  • A rota de guerra no norte de Espanha
  • Terras gloriosas do Império[3]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k «Os nossos mortos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 57 (1395). 1 de Fevereiro de 1946. 147 páginas. Consultado em 25 de Outubro de 2012 
  2. «Santos, Eduardo dos, 1893-1946». Bibliotecas Municipais do Porto. Consultado em 13 de fevereiro de 2013 
  3. Gerbert Verheij (2012). Monumentalidade e espaço público em Lourenço Marques nas décadas de 1930 e 1940 (PDF). [S.l.: s.n.] p. 27(rodapé 57). Consultado em 24 de Outubro de 2012 ISSN 1139-7365


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.