Edyta Górniak

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Edyta Górniak
Edyta Górniak.jpg
Informação geral
Nome completo Edyta Górniak
Nascimento 14 de novembro de 1972 (47 anos)
Origem Ziębice
País  Polónia
Gênero(s) Pop
Instrumento(s) vocal
Período em atividade 1989 - atualmente
Gravadora(s) EMI Music, Virgin Records, EG.Production
Página oficial http://www.edytagorniak.com

Edyta Anna Górniak (Ziębice, 14 de Novembro de 1972) é uma cantora polaca. Em maio de 1995 gravou o seu primeiro álbum, intitulado Dotyk.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O amor pela música[editar | editar código-fonte]

Uma das mais reconhecidas e surpreendentes cantoras polacas, Edyta Górniak ganhou notoriedade no final da década de 80, quando venceu um concurso televisivo de talentos na televisão polaca denominado “Śpiewać każdy może” (Toda a gente pode cantar). Nascida em Ziębice, na Polónia, a 14 de Novembro de 1972, Edyta teve o seu nome escolhido pela sua avó, inspirada pelo nome de Édith Piaf. O amor da cantora pela música começou assim a mostrar-se desde muito cedo. Aos 14 anos Edyta formou a sua primeira banda, contudo, o reconhecimento do público materializou-se somente anos mais tarde.

Em 1990, Górniak iniciou uma promissora carreira como cantora a solo, já depois de ter garantido a participação no espectáculo musical polaco “Metro”. Desde então, a cantora dedicou-se às actuações ao vivo, nos melhores espaços de espectáculo de Varsóvia. Após quase três anos a actuar em “Metro”, que chegou mesmo até à Broadway, Edyta foi até convidada pela agência Elite para ser modelo. A jovem cantora, que alia a beleza física a uma estonteante qualidade vocal, recusou a oportunidade de entrar nas passerelles para dedicar-se em pleno à sua carreira de cantora. Os desejos de Górniak materializaram-se de forma ainda mais sólida quando conseguiu garantir o lugar de representante da Polónia no concurso da Eurovisão, realizado em Dublin. A sua interpretação de “To nie ja!” valeu-lhe o segundo lugar na mostra de talentos televisiva, e despertou ao mesmo o tempo o interesse da indústria pelo seu potencial artístico.

O início da carreira internacional[editar | editar código-fonte]

Um ano mais tarde, em 1995, Edyta lançou “Dotyk”, o seu primeiro álbum a solo, um registo que lhe proporcionou um reconhecimento ainda maior dentro das fronteiras polacas. O sucesso do registo foi incontestável, dado que três dias depois do seu lançamento havia já conquistado a marca do disco de ouro. As capacidades de Edyta confirmaram-se de forma ainda mais inequívoca quando foi convidada para participar na banda sonora do filme “Pocahontas” da Disney.

A segunda metade da década de 90 iniciou-se com a sua aclamação nos Fryderyc Music Awards, prestigiados prémios de música na Polónia. Edyta ganhou os prémios de Melhor Revelação e Melhor Canção para Filme. Contudo, o objectivo de Górniak continuava a ser o mercado estrangeiro, o que a levou a gravar um álbum cantado em inglês. Após o encontro com Chris Neil, que havia trabalho com Céline Dion em “Think Twice”, Edyta ficou ainda mais segura do seu potencial artístico. O primeiro single marcado pela colaboração entre os dois chegou pouco depois. “When You Come Back to Me” ficou no top10 português durante mais de seis meses, e conquistou outras marcas invejáveis em grande parte da Europa. Em meados de 1997, “Edyta Górniak”, o seu longa duração homónimo, chegou ao mercado. A segunda edição do disco incluiu até uma canção cantada em dueto com José Carreras, “Hope for Us”. A popularidade de Górniak, que até então era já considerável, cresceu ainda mais, não só na Polónia, como em toda a Europa.

A solista polaca dedicou-se desde então, e sempre mais afincadamente, aos espectáculos ao vivo. Na sequência disso mesmo, Edyta Górniak lançou o álbum “Live ‘99”, precisamente em 1999.

A consagração[editar | editar código-fonte]

O ano de 2002 ficou marcado pelo regresso de Edyta aos discos. “Perła”, um disco duplo, apresentou canções cantadas em inglês e em polaco. Um ano depois saiu uma edição especial do álbum, uma vez mais com a partilha das línguas polaca e inglesa nas composições.

“Invisible”, um novo álbum de Edyta, chegou às lojas europeias a 31 de Março de 2003. O longa duração apresentou um alinhamento inteiramente cantado em inglês, e proclamou a continuação do sucesso de Górniak não só no velho continente, mas igualmente nos Estados Unidos, onde nos meses seguintes actuou por diversas vezes, nomeadamente em dois inesquecíveis espectáculos em Chicago, a 17 e 18 de Maio. O potencial do disco, que mistura estilos como a soul, o r&b ou a pop, reparte-se entre as canções com ritmos agitados como o single “Impossible”, ou as baladas românticas como “Hold on Your Heart”.

Edyta Górniak apresenta um historial de carreira verdadeiramente invejável. Edyta ganhou até à data cerca de 38 prémios na área da música, apareceu em 109 capas de revistas e vendeu mais de um milhão de cópias dos seus discos. O êxito de Edyta fortaleceu-se em países como a Alemanha, a Suécia, a Suíça, e Portugal, e em outras regiões do globo como na Ásia.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns[editar | editar código-fonte]

  • Dotyk (1995)
  • Edyta Górniak (1997) / Kiss Me, Feel Me (1997)
  • Live '99 (1999)
  • Perła (2002) / Invisible (2003)
  • E·K·G (2007)
  • Zakochaj się na Święta w kolędach (2008)
  • My (2012)

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Ela tem suas casas em Portugal e na Polónia. Ela ama Portugal.

Ela é um dos artistas mais vendidos polonês da história musica.

Na Copa do Mundo de 2002, antes do jogo contra a Coreia do Sul, Edyta Górniak cantou o hino polonês. Infelizmente, eles foram problemas técnicos com o trabalho dos organizadores.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]