Eleição presidencial do Egito de 2012

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Eleição presidencial do Egito de 2012
  2005 ← 
Flag of Egypt.svg
 → 2014
23 e 24 de maio (primeiro turno)
16 e 17 de junho (segundo turno)
Mohamed Morsi cropped.png
Candidato Mohamed Morsi Ahmed Shafiq
Partido Partido da Liberdade e da Justiça Independente
Votos 13 230 131 12 347 380
Porcentagem 51,73% 48,27%
نتیجهٔ دور دوم انتخابات نخستین دورهٔ ریاست‌جمهوری مصر برپایهٔ نامزد برنده.png
  Mohamed Morsi

  Ahmed Shafik

A eleição presidencial do Egito de 2012 foi realizada em duas etapas: primeiro turno em 23 e 24 de maio; e segundo turno em 16 e 17 de junho.[1] De acordo com o sistema eleitoral, se nenhum dos candidatos obtivesse a maioria absoluta dos votos (50%+1), um segundo turno seria realizado em 16 e 17 de junho, sendo de facto realizado, com a não confirmação de resultado conclusivo no primeiro turno.[2] Esta eleição é considerada histórica por ser a primeira eleição livre do país, já que nas outras não havia oposição de forma que o vencedor era óbvio.[3][4][5]

O segundo turno confirmou a vitória dos islamitas, representados pelo Partido da Liberdade e da Justiça, conquistando 51,7%, tendo Morsi como primeiro presidente eleito em eleições livres na era pós-Mubarak.[6]

Contexto político[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Revolução Egípcia de 2011

Há 30 anos, o Egito foi governado pela ditadura de Hosni Mubarak. De 25 de janeiro a 11 de fevereiro de 2011 aconteceram uma série de manifestações de rua, protestos e atos de desobediência civil. Os principais motivos para o início das manifestações e tumultos foram a violência policial, leis de estado de exceção, o desemprego, o desejo de aumentar o salário mínimo, falta de moradia, inflação, corrupção, falta de liberdade de expressão, más condições de vida[7] e fatores demográficos estruturais.[8] A oposição a Mubarak levou a renúncia do presidente e vice em 11 de fevereiro de 2011. Tomou posse no lugar um Conselho Militar Supremo liderado por Mohamed Hussein Tantawi no qual declarou que passaria o governo aos civis — todos os presidentes desde a revolução de 1952 eram militares. Durante as manifestações, exigia-se eleições livres. Após a deposição de Mubarak, o Conselho Militar mudou a data das eleições várias vezes fazendo com que ela fosse adiada, o que provocou uma certa tensão.[9]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Estatísticas Primeiro turno Segundo turno
Votos inválidos 406 720 1,72% 843 252 3,19%
Participação 23 672 236 46,42% 26 420 763 51,85%
Abstenções 27 324 510 53,58% 24 538 031 48,15%
Eleitores registrados 50 996 746 50 958 794

Primeiro turno[editar | editar código-fonte]

Resultados do primeiro turno da eleição presidencial do Egito de 2012
Partido Candidato Votos Votos (%)
  Partido da Liberdade e da Justiça Mohamed Morsi 5 764 952
 
24,78%
  Independente Ahmed Shafiq 5 505 327
 
23,66%
  Partido da Dignidade Hamdeen Sabahi 4 820 273
 
20,72%
  Independente Abdel Moneim Aboul Fotouh 4 065 239
 
17,47%
  Independente Amr Moussa 2 588 850
 
11,13%
  Independente Mohammad Salim Al-Awa 235 374
 
1,01%
  Independente Khaled Ali 134 056
 
0,58%
  Partido da Aliança Popular Socialista Abu Al-Izz Al-Hariri 40 090
 
0,17%
  Partido Nacional Unionista Progressista Hisham Bastawisy 29 189
 
0,13%
  Independente Mahmoud Houssam 23 992
 
0,1%
  Partido da Geração Democrata Mohammad Fawzi Issa 23 889
 
0,1%
  Partido da Paz Democrática Houssam Khairallah 22 036
 
0,09%
  Partido da Autenticidade Abdulla Alashaal 12 249
 
0,05%
Totais 23 265 516  
Fonte: [10]

Segundo turno[editar | editar código-fonte]

Resultados do primeiro turno da eleição presidencial do Egito de 2012
Partido Candidato Votos Votos (%)
  Partido da Liberdade e da Justiça Mohamed Morsi 13 230 131
 
51,73%
  Independente Ahmed Shafiq 12 347 380
 
48,27%
Totais 25 577 511  
Fonte: [11]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre eleições ou plebiscitos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.