Elio Di Rupo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Elio Di Rupo
Elio Di Rupo
Primeiro-ministro da Bélgica
Período 6 de dezembro de 2011 - 11 de outubro de 2014
Antecessor(a) Yves Leterme
Sucessor(a) Charles Michel
Ministro-presidente da Valónia
Período 15 de Julho de 19994 de Abril de 2000
Antecessor(a) Robert Collignon
Sucessor(a) Jean-Claude Van Cauwenberghe
Líder do Partido Socialista
Período 16 de Setembro de 19996 de Dezembro de 2011 e desde 22 de Julho de 2014
Antecessor(a) Philippe Busquin e Paul Magnette
Dados pessoais
Nascimento 18 de julho de 1951 (66 anos)
Morlanwelz,  Bélgica
Partido Partido Socialista Belga

Elio di Rupo (Morlanwelz, 18 de julho de 1951) é um político social-democrata belga e, de 6 de dezembro de 2011 a 11 de outubro de 2014[1] foi Primeiro-ministro do país. Elio Di Rupo é também líder do Partido Socialista e foi formateur (equivalente ao cargo de Primeiro-Ministro indigitado) do governo, de Maio de 2011 até a posse como Primeiro-ministro em Dezembro do mesmo ano.

Infância e estudos[editar | editar código-fonte]

Filho de imigrantes italianos, Elio Di Rupo nasceu numa família pobre em Morlanwelz, sua família é originária da pequena cidade de San Valentino in Abruzzo Citeriore na região nos Abruzzos. Seu pai morre de um acidente de carro em Julho de 1952. Sua mãe sozinha cuida dos sete filhos. De meios muito modestos, ele entende muito cedo que é através da educação que conseguem construir um futuro. Sua carreira lhe permite completar seu Doutoramento em química na Universidade de Mons-Hainaut, na qual ele posteriormente exerceu um mandato como conselheiro administrativo. Durante os seus estudos, o jovem Elio Di Rupo começa a construir uma consciência política. Era activo no Partido Socialista (Bélgica), na qual ele disse que encontrou eco em seus ideais humanistas de justiça social e liberdade individual.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

Seu partido foi o segundo mais votado nas eleições gerais de 2010, sendo o mais popular nas regiões francófonas da Valónia e de Bruxelas. Di Rupo negocia a formação da nova coalizão de governo com o partido conservador nacionalista flamengo N-VA, de Bart De Wever.[2]

Elio Di Rupo é um político extremamente popular e carismático.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Em 1996, no contexto do trauma do caso Dutroux, Elio Di Rupo é acusado de pedofilia; essa acusação, retransmitida "por certos meios de comunicação" é, em última análise sem fundamento e parece estar relacionada com um complô para o desestabilizar[3]. Elio Di Rupo discute abertamente da sua homossexualidade. Na Bélgica, continua a ser um dos principais políticos belgas de alto escalão a o ter feito[4].

Em 2011, Elio Di Rupo tornou-se o segundo chefe de governo no mundo a se ter declarado abertamente homossexual, depois da primeira-ministra da Islândia, Jóhanna Sigurðardóttir, o ter feito em 2009.[5]

Referências

  1. «Discours de remerciements d'Elio Di Rupo: «Oui, nous pouvons être fiers de nos réalisations»». Le Soir. 10 de outubro de 2014. Consultado em 11 de outubro de 2014 
  2. De Wever wil eerst basisakkoord met PS. Het Nieuwsblad. (em neerlandês)
  3. COENEN, GOVAERT, HEINEN, Marie-Thérèse, Serge, Jean (2004). L’État de la Belgique : 1989-2004 : quinze années à la charnière du siècle,. Bruxelas: éd. De Boeck,. p. p. 151 
  4. V.R. (25 de abril de 2001). «Le premier «coming out» public d'un homme politique». La Libre Belgique. Consultado em 4 de outubro de 2014 
  5. Gays under pressure in Belgium's moral backlash – Anger over child murders switches to Belgium's gays. The Independent. (em inglês)
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Elio Di Rupo
Precedido por
Yves Leterme
Primeiro-ministro da Bélgica
2011 - 2014
Sucedido por
Charles Michel