Eremotherium

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde agosto de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.

Eremotheriumum é um gênero extinto em mamíferos placentários com distribuição intertropical, cujos restos foram recuperados em toda a América. No entanto, a classificação de fósseis é questionada, dada a escassez de materiais para avaliar critérios e variações morfológicas.

O Eremotherium também é conhecido como Preguiça Gigante. Pesava cerca de 5 toneladas e podia alcançar até 5 metros de altura é parte da Megafauna (MEGA = grande/ FAUNA = animais) viveram durante o plesioceno. O Pleistoceno é a época que se iniciou há aproximadamente 2,6 milhões de anos e terminou há cerca de 11.000 anos, quando chegou ao final o que os cientistas chamam de “Era do Gelo”. A Megafauna Pleistocênica habitou todos os continentes do planeta, menos a Antártida.

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

Ele foi nomeado pela primeira vez em 1948 por Spillmann, que incluiu-o na família Megatheriidae; então confirmado por Carrol 1988 , Cisneros 2005 , e Salles em 2006. Gaudin 1995 atribui à subfamília Megatheriinae.

Carlos de Paula Couto (1910-1985) em 1980, com base em uma espécie fóssil descrito Xenocnus cearensis então, em 2008, Cartelle atribuído a um Eremotherium laurillardi.

Morfologia[editar | editar código-fonte]

A morfologia dentária, craniana e mandibular entre E. laurillardi e E. eomigrans são indistinguíveis, mas o resto do esqueleto de E. eomigrans é mais elegante e as pernas dianteiras são pentadáctilas, enquanto nas E. laurillardi é mais robusto e as pernas dianteiras deles são tetradáctilas.

Referências[editar | editar código-fonte]

< Alfonzo Hernández, Imerú; Chávez Aponte, Edwin OY (15 de março de 2008). "Eremotherium laurillardi (Xenarthra: MEGATERIIDAE): Biometrics astragaloi do Pleistoceno, Falcon e do Distrito Capital, Venezuela" ><Carrol, RL (1988). Behrensmeyer K., K. M. Behrensmeyer e Carrano, ed. Vertebrate Paleontology e Evolução (em Inglês) . New York: WH Freeman and Company.<Cisneros, JC (2005). "Fauna de vertebrados New Pleistoceno de El Salvador". Revista Brasileira de Paleontologia. 8 (3). P. 239-255 . >< LO Salles, C. Cartelle, Guedes PG, PC Boggiani, A. Russo Janoo e CAM (2006). "Mamíferos quaternários da Serra do Bodoquena, Mato Grosso do Sul, Brasil". Boletim do Museu Nacional (521). P. 1-12 . > >