Espaço de cores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
[1] Comparação da gama de cores RGB e CMYK em um diagrama de cromaticidade xy CIE 1931

Um Espaço de cores é uma organização específica das cores. Em combinação com um dispositivo que faz seus perfis, ele permite representações reprodutíveis de cor, em qualquer representação seja analógica ou digital. Um espaço de cor pode ser arbitrário , com cores específicas atribuídas a um conjunto de amostras de cores físicas e correspondente nomes ou números atribuídos tal como com o sistema Pantone, ou matematicamente estruturado, como com Adobe RGB ou sRGB.

Uma comparação das cromaticidade de alguns espaços de cores.

Um modelo de cores é um modelo matemático abstrato que descreve a forma como as cores podem ser representadas como tupla de números (por exemplo, triplica em RGB ou quadruplica em CMYK) ; no entanto, um modelo de cor com nenhuma função mapeamento associado a um espaço de cores absoluto é um sistema de cores mais ou menos arbitrária , sem ligação a qualquer sistema globalmente entendido de interpretação de cor. Adicionando uma função de mapeamento entre um específico modelo de cor e um espaço de cores de referência , estabelece dentro do espaço de cores de referência uma "pegada" própria, conhecida como gama, e para um dado modelo de cor esta define um espaço de cor . Por exemplo, Adobe RGB e sRGB são dois espaços de cor absolutos diferentes, ambos com base no modelo de cores RGB . Quando se define um espaço de cor , o padrão de referência usual é o espaço de cor CIELAB ou CIEXYZ , que foram projetados especificamente para abranger todas as cores que os ser humanos podem ver.

Desde que " espaço de cor " é um termo mais específico, identificando uma combinação particular de modelo de cor e função de mapeamento, ele tende a ser usado informalmente para identificar um modelo de cor , uma vez que a identificação de um espaço de cor identifica automaticamente o modelo de cores associado , porém este uso é estritamente incorreto. Por exemplo, apesar de vários espaços de cores específicas são baseados no modelo de cor RGB , não há tal coisa como o espaço de cor RGB único.

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Comparação entre o espaço de cores de RGB e CMYK. Esta imagem demonstra as diferenças entre como as cores serão vistas em um monitor de computador (RGB) comparado com como elas serão reproduzidas em um processo de impressão CMYK.

Cores podem ser criadas na impressão usando espaços de cores baseados no modelo de cor CMYK, usando as cores primárias subtrativas de pigmento (Ciano (C), Magenta (M), Amarelo (Y), e Preto (B) obs.: Acróstico originalmente em Inglês: Cyan (C), Magenta (M), Yellow(Y), Black (B)). Para criar uma representação tridimensional de um dado espaço de cor, nós podemos assimilar a quantidade de cor Magenta à representação no eixo X, à quantidade de Ciano no eixo Y, e à quantidade de Amarelo no eixo Z. O espaço tridimensional resultante é uma única posição para cada possível cor que pode ser criada usando esses três pigmentos.

Cores podem ser reproduzidas em monitores de computador com espaços de cores baseados no modelo RGB, usando o sistema primário de cores aditivo (Vermelho (R), Verde (G), Azul (B)). Uma representação tridimensional que assimilada em um dado monitor será limitado pela média reprodutiva, a qual podem ser os fósforos (em um Monitor de CRT) ou filtros e luzes de fundo (monitor de LCD).

Um outro jeito de criar cores em um monitor é com um espaço de cores HSL ou HSV, baseado em matiz, saturação, brilho (valores). Como em um espaço, as variáveis seriam assimiladas a um sistema de coordenadas cilíndricas.

Muitos espaços de cores podem ser representadas com valores em três dimensões nesta maneira, mas podem haver várias outras, ou com menos dimensões, assim como o Pantone, que não pode ser representada desta forma.

Conversão[editar | editar código-fonte]

Conversão de um espaço de cor é a tradução da representação de base de cor para outra base de cor. Isso comumente ocorre no contexto de converter uma imagem que é representada em um espaço de cor para outro espaço de cor, sendo a principal meta a imagem convertida aparentar ser a mais parecida possível à original.

Densidade RGB[editar | editar código-fonte]

O modelo de cor RGB é reproduzido de diferentes maneiras, dependendo das capacidades do sistema utilizado. No geral, a forma geral utilizada mais comum a partir de 2006 é a de 24 bits, com 8 bits ou 256 níveis possíveis de cor por canal. Qualquer espaço de cor com base em tal modelo RGB de 24 bits é assim limitada a uma faixa de 256 × 256 × 256 ≈ 16,7 milhões de cores. Algumas implementações usam 16 bits por componente que resulta em 48 bits totais, resultando na mesma gama com um maior número de cores reproduzíveis. Isto é especialmente importante quando se trabalha com espaços de cores com uma gama de cores vasta (onde a maior parte das cores mais comuns estão localizados relativamente perto em conjunto), ou quando um grande número de algoritmos de filtragem digital são utilizados consecutivamente. O mesmo princípio aplica-se para qualquer espaço de cor com base no mesmo modelo de cor, mas implementado em diferentes profundidades de bits .

Ícone de esboço Este artigo sobre cor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. «Sistema de cor».