Vídeo digital

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O vídeo digital (em inglês: Digital Video, ou DV) é um formato digital de vídeo que permite a gravação em fitas magnéticas. O MiniDV é um dos mais populares formatos de fita para DV e destina-se ao mercado amador e semi-profissional, com a grande vantagem de um tamanho reduzido e qualidade superior, comparado ao formato VHS. O vídeo é gravado por meio de um codec de vídeo DV, que pode ser capturado diretamente para ilhas de edição ou computadores pessoais.

História[editar | editar código-fonte]

O formato de Vídeo Digital (DV, na sigla em inglês, de Digital Video) é um formato de vídeo lançado em 1996 e que permite registrar vídeos em fitas cassete digitais sobre uma leve compressão para cada imagem. Isto facilita a transferência diretamente do vídeo para um computador para realizar a edição.

Fitas DV (da esquerda para a direita: DVCAM-L, DVCPRO-M, MiniDV)

As fitas cassete DV existem em sete formatos: DV, MiniDV, DVCAM, Digital8, DVCPRO, DVCPRO50 e DVCPRO HD. Elas registram um vídeo digital comprimido graças a um método DCT. A qualidade do vídeo digital é superior aos formatos analógicos atuais, como o video8, VHS-C ou o Hi-8.

O formato DV foi desenvolvido por um amplo consórcio de empresas, agrupando a Matsushita (dona da Panasonic), Philips, Sony, Thomson, juntas com a Hitachi, JVC, Mitsubishi, Sanyo, Sharp e Toshiba, mais as empresas de informática Apple Computer e IBM, num total de mais de 50 corporações. Esta aliança industrial histórica no mundo da eletrônica se uniu para definir as especificações da nova geração de magnetoscópios do grande público.

Vídeo[editar | editar código-fonte]

A imagem é de resolução padrão de 720x576 pixels em PAL 50 Hz e 720x480 pixels em NTSC e variações do PAL em 60 Hz dividos sobre duas tramas comprimidas em Jpeg, e a proporção da imagem é de 1:25, com uma resolução horizontal de 500 linhas, um relação S/B (Signal/Bruto) de 54dB e uma banda passante crominância de 14 MHz. O DV oferece desempenhos bem superiores aos dos formatos analógicos Hi-8 e S-VHS.

Compressão[editar | editar código-fonte]

A compressão de dados se utiliza dos padrões MJPEG: JPEG e MPEG efectua-se segundo o conteúdo da imagem em intra-quadro ou em intra-imagem. Isso serve para eliminar as redundâncias entre os dois quadros de uma imagem, quando existem, e obter uma melhor eficácia de compressão. Em alguns casos, não se leva em conta a redundância temporal entre as imagens, cada uma delas é codificada separadamente e não dependentes de nenhum outro que permite uma montagem da imagem anterior. A perda inicial do sinal video 4:2:0 ou 4:1:1 é de 125 Mbits/s. Ele é reduzido, após compressão à 25Mbits/s com uma taxa de compressão da ordem de 5:1.

Áudio[editar | editar código-fonte]

O formato DV pode tratar 4 pistas échantillonnées a 32 kHz e codificadas em 12 bits, ou 2 pistas em 48 kHz e codificadas sobre 16 bits.

Formatos e fitas[editar | editar código-fonte]

Há diferentes tipos de fitas para o formato DV. Certas fitas são dotadas de um pequeno chip de memória que permitem arquivar um verdadeiro catálogo de seqüências registradas e de imagens fixas com os dados de índice, tais como a data ou a hora de captura, além de informações relativas aos parâmetros da câmera durante as gravações, tais como a abertura do diafragma ou a velocidade do obturador. Esse chip não pode ser utilizado além das câmeras que possuem esta função.

  • DV: As fitas DV (medida "L") medem aproximadamente 120 x 90 x 12 mm e podem conter até 4,6 hora s de gravação (ou 6,9 horas no modo Long Play).
  • MiniDV: As fitas MiniDV (medida "S") medem aproximadamente 65 x 48 x 12 mm e estão disponíveis em versões de 30 min. (ou 45 min. no modo Long Play), 60 min. (90 min. em LP) e 80 min. (120 min. em LP).
  • DVCAM (desenvolvido pela Sony): Originou-se da versão profissional do DV. Mas o DVCAM aparece, hoje em dia, mais no setor institucional do que no setor profissional. Dificulta assim qualquer solicitação intensiva de montagem pelo fato da banda estreita (1/4") não estar adaptada às condições de torneamento. As Fitas DVCAM são dispostas em duas dimensões que são as mesmas do DV. A menor (S), que ofereçe duração de 12, 22, 32 e 40 minutos, e a grande (L), que permite atingir 64, 94, 124 e 184 minutos.
  • DVCPRO (desenvolvido pela Panasonic): As Fitas DVCPRO permitem registro de 66 min a uma taxa de 25 Mbit/s. Essas cassetes são também utilizáveis em modo DVCPRO50. Mas, como a velocidade de registro pode ser duplicada, a duração de registro se encontra dividida por dois (33 min.), o que é indicado pelos dois números "66/33" quem constam nestas cassetes. As cassetes DVCPRO são de dimensão M (dimensão da mão).
  • DVCPRO50 (desenvolvido pela Panasonic em 1998): O DVCPRO50 duplicou a velocidade de registro do DVCPRO ee combinou dois codecs DV em paralelo para registro de video digital a uma taxa de 50 Mbit/s.
  • DVCPRO HD (desenvolvido pela Panasonic em 2000): O DVCPRO HD aumenta ainda a velocidade da cassete e combina quatro codecs DV em paralelo para atingir 100 Mbit/s. As cassetes DVCPRO HD são de dimensão XL. Existem leitores Sony que podem ler diferentes tipos de formatos (MiniDV, DV, DVCAM, DVCPRO).
  • Digital8: O Digital8 também utiliza o codec DV, mas em fitas do formato 8 mm ou Hi8. Tendo em conta que as fitas oferecem a vantagem de alcançar 500 linhas de resolução contra 400 do Hi8 ou 255 do 8 mm. Reutiliza, por muito mais vezes, as fitas analógicas sem perda de qualidade se comparado ao Mini DV gerando econômia pro usuário. Video8 e Vídeos Hi8 tiveram um grande sucesso no passado, o Digital8 foi concebido para os consumidores como transição entre o analógico e o digital. A qualidade vídeo e audio do Digital8 é comparável à DV. O Digital8 permite em camcoders a reprodução das antigas fitas 8 mm e Hi8 sem nenhuma perda de qualidade e ainda permite passar as imagens pro computador ,através da conexão Fire wire IEEE 1394,para em seguida serem gravadas num DVD.

Conector DV[editar | editar código-fonte]

Existem dois tipos de conectores que são utilizados para transferir a informação que foi registrada sob a forma digital sobre o suporte anterior ao formato DV. Seus conectores não fazem o papel transporte a fim de obter de um ficheiro vídeo DV de tipo 1 ou 2. Certos camescopes que possuem os conectores S VHS/RCA áudio passam pela entrada e permitem gravação dos sinais analógicos DV. Certos camescopes lêem/enumeram as informações de K7 8mm Hi8 para a saída DV. A Canopus comercializa um conversor A/N para sinal analógico com um par de conectores (2RCA áudio/1S VHS vídeo).

Software DV[editar | editar código-fonte]

Qualquer "software" de edição de vídeo suporta a captura DV. Alguns são especializados em DV como scenalyzer ou Kino.