Estádio Municipal Décio Vitta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Décio Vitta (Riobrancão)
Estádio Décio Vitta
RBEC SJEC 2009.jpeg
Vista Parcial em 2009
Nomes
Nome Estádio Décio Vitta
Apelido Riobrancão
Características
Local Americana, SP, Brasil
Gramado Grama natural (105 x 68 m)
Capacidade 16.300 pessoas [1]
Construção
Data 1971
Inauguração
Data 1 de maio de 1977
Partida inaugural Americana E.C. 2 x 0 Taubaté
Primeiro gol Niltinho (Americana)
Recordes
Público recorde 19.173 pessoas
Data recorde 9 de março de 1993
Partida com mais público Rio Branco-SP 1 x 0 São Paulo
Outras informações
Proprietário Rio Branco EC
Administrador Rio Branco EC
Mandante Rio Branco EC

O Estádio Décio Vitta, também Riobrancão, é um estádio brasileiro de futebol localizado na cidade de Americana, no estado de São Paulo. Foi inaugurado em 1977. A capacidade do Décio Vitta atualmente é de 16.300 espectadores.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1954, o então Rio Branco Esporte Clube cedeu seu campo de futebol à Prefeitura Municipal de Americana, que construiu o Instituto de Educação Presidente Kennedy (Heitor Penteado). Em troca, o governo ofereceu dois novos terrenos ao clube: um na Vila São Domingos e outro na Vila Azenha. Naquele mesmo, o Tigre aceitou a área do São Domingos, de 50 mil metros quadrados, que foi doado por Antonio Zanaga, José Dante Zanaga e João Zanaga.

Em 1971, a construção do novo estádio começou, após o Rio Branco e a cidade de Americana entrarem em um acordo.

A construção terminou em 1977 e o estádio foi inaugurado oficialmente no dia 1º de maio daquele ano, com o nome de "Riobrancão". O jogo inaugural foi disputado entre o Americana EC e o EC Taubaté, com vitória do time americanense por 2 a 0. O primeiro gol do estádio foi marcado por Niltinho (Nilton Libardi) do clube de Americana.

Em 1981, o então presidente do Rio Branco, Délcio Dollo, propôs rebatizar o estádio com o nome Décio Vitta. Entretanto, isto aconteceu somente em 1986.

O maior público já registrado no estádio foi no dia 9 de março de 1993, quando 19.173 pessoas assitiram a vitória do Rio Branco sobre o São Paulo por 1 a 0.

A partir de 2009, o estádio passou por um regime de comodato com a Prefeitura Municipal de Americana, ou seja, o Rio Branco cedeu a administração do seu campo para o órgão público por 30 anos.[1]

Em 2010, o Estádio passou por uma reforma considerável para se adequar às normas da Federação Paulista de Futebol.

Em 10 de outubro de 2016, o prefeito de Americana, Omar Najar, encaminhou a rescisão do contrato de comodato e a devolução do Décio Vitta ao Rio Branco. Oficialmente, o estádio deixou de ter a sua administração municipalizada em 1 de maio de 2017, voltando a ser uma praça de cunho integralmente particular.[2]

O estádio já serviu de "casa" para o antigo Americana Esporte Clube (da inauguração até a incorporação com o Rio Branco em 1979) e para o Rio Branco Esporte Clube (de 1979 até os dias atuais).

Fichas técnicas de jogos importantes[editar | editar código-fonte]

O primeiro jogo oficial do estádio Décio Vitta[2]

Americana EC 2x0 Taubaté - Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 1977

Data: 01/05/1977 - tarde

Placar do 1º tempo: Americana EC 1x0 Taubaté

Placar final: Americana EC 2x0 Taubaté

Árbitro: Rubens Paulis

Auxiliares: João Adolfo Funes e Edgar Lemos Dias

Público: aproximadamente 10 mil pessoas

Americana EC: Carlinhos; Carioca, Adalberto, Coutinho e Ferreira; Sérgio, Paulinho e Niltinho; Vande, Nelsinho e Ligão. Técnico: Foguinho. 

Taubaté: Marco Antônio; Banha, Jair, Célio e Alves; Milton, Toninho e Jovelino; Tatau, Madeira e Everaldo. 

Gols:

AEC - Niltinho 35' 1ºT

AEC - Sérgio 44' 2ºT

O primeiro jogo do Rio Branco no estádio Décio Vitta

Rio Branco 0x1 Noroeste - Amistoso oficial

Data: 13/05/1979 - 15h30

Placar do 1º tempo: Rio Branco 0x0 Noroeste

Placar final: Rio Branco 0x1 Noroeste

Árbitro: Antônio Padua Sales

Assistentes: Antonio Barochella e Antonio Luzio

Público: Estimativa de 13.000 pessoas

Renda: Cr$147.000,00

Rio Branco: Toni; Reginaldo, Carlos, Lineu e Lázaro; Guaçu, Luiz Antonio (Cacalo) e Gustavo; Cuca (Eron), Dudu e Chiquinho (Celso). Técnico: Boca.

Noroeste: Luiz Carlos; Nilson, Dedê, Mauricio e Edwaldo; Jorge Fernandes, Carlos Roberto (Mardoni) e Wallace (João Carlos); Lela, Rangel e Jorge Maravilha.

Gol:

NOR - Mardoni 15' 2ºT

O jogo de maior público (oficialmente) do estádio Décio Vitta

Rio Branco 1x0 São Paulo - Campeonato Paulista da 1ª Divisão

Data: 09/03/1993 - noite

Placar do 1º tempo: Rio Branco 0x0 São Paulo

Placar final: Rio Branco 1x0 São Paulo

Árbitro: Oscar Roberto Godoi

Público: 19.244 pagantes

Renda: Cr$826.150.000,00

Rio Branco: Hugo; Marquinhos, Camilo, Heraldo e Carlinhos Capixaba; Flávio Conceição, Edmar e Gerson; Gilson Batata (Sidnei), Mazinho Loyola e Aritana (Gilson). Técnico: Cassiá.

São Paulo: Zetti; Vitor, Válber, Ronaldão (Gilmar) e André Luiz; Pintado, Dinho e Raí; Müller, Cafu e Elivélton (Macedo). Técnico: Telê Santana.

Gol:

RBO - Edmar 29' 2ºT

O jogo de maior público (extra-oficial) do estádio Décio Vitta

Rio Branco 6x0 Primavera de Indaiatuba - Campeonato Paulista da 2ª Divisão

Data: 12/10/1982 - tarde

Placar do 1º tempo: Rio Branco 3x0 Primavera

Placar final: Rio Branco 6x0 Primavera

Árbitro: Dulcídio Vanderlei Boschilia

Público: aproximadamente 25 mil pessoas (o jogo foi realizado com os portões abertos ao torcedor, ou seja, sem cobrança de ingresso - a estimativa de público é da Polícia Militar)

Rio Branco: Zé Luiz; Paulinho, Tutu, Jorginho e Dodô; Sony, Rogério e Baitaca (Toquinho); Jorge Cruz (Jairo), Paulo Cardoso e Bispo. Técnico: Afrânio Riul.

Primavera: Elison; Wilson, Zé Maria, Teteu e Paulo Roberto; Ercides, Júlio César e Lincoln; Ivan, Soares e Adval. Técnico: Adailton Ladeira.

Gols:

RBO - Paulo Cardoso 18' 1ºT

RBO - Bispo 35' 1ºT

RBO - Paulo Cardoso 42' 1ºT

RBO - Rogério 14' 2ºT

RBO - Jairo 38' 2ºT

RBO - Jairo 43' 2ºT

O jogo do primeiro título do Rio Branco no estádio Décio Vitta

Rio Branco 2x0 Grêmio Osasco - Campeonato Paulista da Série A-3

Data: 20/05/2012 - manhã

Placar do 1º tempo: Rio Branco 2x0 Grêmio Osasco

Placar final: Rio Branco 2x0 Grêmio Osasco

Árbitro: Leandro Bizzio Marinho

Público: 5.106 pagantes

Renda: R$43.800,00

Rio Branco: Éder; Oliveira, Bernardi (Júlio César), Marcus Vinícius e Esquerdinha; Deda, Rafael Jataí, Rodrigo Celeste e Rafael Chorão; Marcos Denner (Fábio Júnior) e Túlio Renan (Cecel). Técnico: Luisinho Quintanilha.

Grêmio Osasco: Yamada; Deivid, Bruno Leandro, Bruno Alves (Lucas) e Iran (Luciano); Arthur, Mineiro, Rogério e Michel; Dedé e Celsinho (Caju). Técnico: Toninho Moura.

Gols:

RBO - Túlio Renan 13' 1ºT

RBO - Télio Renan 22' 1ºT

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «CNEF da CBF» (PDF). Site Oficial da CBF. Consultado em 9 de março de 2012 
  2. As fichas técnicas foram cedidas pelos historiadores Gabriel Pitor e Claudio Gioria, sendo pesquisadas nos jornais O Liberal e TODODIA.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre estádios de futebol do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.