Estela da Fome

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Estela da Fome

A Estela da Fome é o nome dado a umas inscrições feitas numa rocha de granito que se encontra na parte sul da ilha de Sehel, no rio Nilo, na região meridional do Egipto.

Na parte superior da estela é possível observar a representação de três deuses da mitologia egípcia, o deus Khnum, e as deusas Satis e Anuket. Em frente deles encontra-se o faraó Djoser realizando uma oferenda aos deuses, posição confirmada pelas mãos da figura. Estes três deuses eram importantes na região próxima da ilha, formando em Elefantina, uma tríade ou agrupamento de três deuses. A própria ilha de Sehel estava dedicada a Satis.

As inscrições foram feitas na época ptolomeica, a fase final da história do Antigo Egipto, sendo atribuídas a Ptolomeu V. No entanto, o texto refere-se a acontecimentos que teriam tido lugar na época do rei Djoser, que viveu dois mil anos antes.

Segundo o texto, Djoser encontrava-se no seu palácio, perturbado por sentimentos de tristeza profunda. Uma seca se tinha abatido sobre o Egipto nos últimos sete anos, o que fazia com que o Nilo não transbordasse e depositasse nas terras o lodo que as fertilizava e que permitia a prática agrícola.

Tentanto obter alguma resposta para a situação de calamidade, Djoser pede ajuda aos sacerdotes de Imhotep, o seu ministro, que decidem investigar nos arquivos do templo de Tot em Hermópolis.

Um sacerdote informa ao rei que o Nilo era controlado pelo deus Knhum na ilha de Elefantina. O deus está irado e por esta razão não permite que as águas do Nilo circulem. Djoser manda realizar oferendas, como forma de tentar aplacar o deus. Na noite seguinte o rei teve um sonho no qual viu Knhum, que lhe prometeu um fim para a fome.

O rei decide emitir um decreto a favor de Knhum, no qual oferece ao templo do deus em Elefantina a região compreendida entre Assuão e Takompso, com todas suas riquezas.

A estela foi descoberta em 1889 por C.E. Wilbour, não sendo possível comprovar a autenticidade dos acontecimentos nela relatados. É possível que o rei Ptolomeu V se tenha querido identificar com o seu antepassado Djoser na luta contra a fome ou talvez ela relate acontecimentos que foram transmitidos por via oral ou que se achavam num documento antigo.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • LICHTHEIM, Miriam - Ancient Egyptian Literature: Volume III, The Late Period. University of California Press.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]