Estoa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Estoa de Átalo, após restauro, em Atenas

Estoa[1][2] (em grego: Στοά; romaniz.: stoá , lit. "pórtico" ou "colunata"; pl. stoai) é um elemento arquitetônico muito utilizado na Grécia Antiga e que consistia de um corredor ou pórtico coberto, comumente destinado ao uso público.

Os primeiros estoas eram abertos na entrada, com colunas que ladeavam o edifício, criando uma atmosfera envolvente e protegida. As colunas costumavam ser feitas no estilo dórico. Já os exemplos posteriores possuem dois andares, com um telhado que cobre as colunatas internas onde lojas ou oficinas estavam localizadas, e passaram a seguir a arquitetura jônica. Esses edifícios eram inteiramente abertos ao público. Ali, mercadores podiam vender seus produtos, artistas mostravam suas obras, e cerimônias religiosas podiam se realizar. Os estoas ficavam normalmente ao redor das ágoras, praças centrais das grandes cidades, onde funcionavam os mercados.

Estoas célebres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ribeiro 1962, p. 113; 126.
  2. Neves 2015.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ribeiro, José Frexa Pinto. História critica da arte, Volume 1. Rio de Janeiro: Editora Fundo de Cultura 
Ícone de esboço Este artigo sobre arquitetura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.