Estrela da Vida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Star of life.svg

A estrela da vida é o símbolo que identifica o Pré Hospitalar, é também considerada como o símbolo internacional da Paramedicina e dos Técnicos em Emergências Médicas, devido à Serpente e o Bastão.

Reconhecido pela profissão médica como símbolo da Emergência Médica, seu uso é encorajado tanto pela Associação Médica Americana como pelo Conselho Consultivo do Departamento de Saúde, Educação e Bem Estar.

Desenhado por Leo R. Schwartz, Chefe do Departamento do Serviço de Emergência Médica (EMS) da Administração Nacional de Segurança do Tráfego Rodoviário (NHTSA), a "Estrela da Vida" foi criada após a Cruz Vermelha Nacional Americana ter reclamado, em 1973, do uso comum de uma cruz Omaha alaranjada sobre um fundo quadrado branco reflexivo que claramente imitava o símbolo da Cruz Vermelha. A NHTSA investigou e considerou a objeção justificada.

O novo desenho, a cruz de seis barras, foi adaptada do Símbolo de Identificação Médica da Associação Médica Americana e foi certificada como marca registrada em 1° de fevereiro de 1977 pelo Comissário de Patentes e Marcas Registradas em nome da Administração Nacional de Segurança do Tráfego Rodoviário. A marca registrada permanecera em vigor durante vinte anos a partir desta. Cada uma das barras da azul "Estrela da Vida" representa a função em seis sistemas do EMS.

A cobra e o bastão de Asclepius, de acordo com a mitologia grega, foi filho de Apolo (Deus da luz, verdade e profecia). Supostamente, Asclepius aprendeu a arte da cura do centauro Cheron; mas, Zeus - rei dos Deuses, temia que devido aos conhecimentos de Asclepius, todos os homens poderiam tornar-se imortais, para que isso não ocorresse, Zeus matou Asclepius com um raio.

Posteriormente, Asclepius foi venerado como um Deus, e o povo dormia nos seus templos, pois era dito que por meio de remédios receitados ele curava os doentes durante seus sonhos.

Asclepius era geralmente representado em pé, com manto comprido, segurando um bastão com uma serpente enrolada no mesmo. Desde então o bastão veio a representar o único símbolo da medicina. No Caduceu, usado pelos médicos e pelo Corpo Médico Militar, o bastão é alado e tem duas serpentes entrelaçadas. Mesmo que isto não tenha nenhuma relevância médica na origem, representa a vara mágica do Deus grego, mensageiro dos Deuses.

A Bíblia, em Números 21:9, refere-se a uma serpente num bastão: "Portanto, Moisés fez uma serpente de bronze e montou-a num poste e, quando qualquer pessoa, mordida por uma cobra, olhava para a serpente de bronze, recuperava-se".

A Estrela tem seu significado próprio e cada uma de suas extremidades tem uma representação das funções da Emergência no Pré Hospitalar.


1) Detectar a Emergência;

2) Reportar-se a Emergência;

3) Enviar a Equipe e o equipamento adequado;

4) Cuidados no local;

5) Cuidados em transito;

6) Transferência para o tratamento definitivo.


A NHTSA tem direito exclusivo para monitorar seus usos em todo os Estados Unidos. Seu uso nos veículos de tratamento médico assegura que tais veículos atendam às normas do Departamento de Transporte dos EUA e garante que o pessoal de tratamento médico de emergência, que o usa, foi treinado para atender essas normas. Seu uso nas placas e mapas rodoviários, indica o local ou acesso aos serviços qualificados de tratamento de emergência. Não é permitido nenhum outro uso do símbolo, exceto conforme relacionado abaixo.


1) Como meio de identificação para equipamentos e suprimentos médicos para instalação e uso em Ambulância de Tratamento Médico de Emergência.


2) Para indicar o local de serviços médicos qualificados e acesso a tais instalações.


3) Nos emblemas usados nos ombros somente por pessoal que tenha satisfatoriamente concluído cursos de treinamento DOT ou equivalentes aprovados e por pessoas que por título e função administram, supervisionam diretamente ou participam num todo ou em parte de programas EMS nacionais, estaduais ou comunitários.


4) Em itens pessoais do EMS - emblemas, insígnias e fivelas.


5) Livros, panfletos, manuais, relatórios ou outro material impresso que tenha aplicação direta no EMS.


6) O símbolo "Estrela da Vida" por ser usado por pessoal administrativo, diretores de projetos e equipes, conselhos e grupos consultivos.


Caso sejam usados emblemas nos ombros, deverão ser uma simples azul, "Estrela da Vida" sobre fundo branco quadrado ou redondo. A função, letras ou palavras de identificação deverão ser impressas em barras afixadas separadamente ao longo da parte inferior. As bordas do emblema básico e das barras de função deverão ser bordadas

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Saúde é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

A estrela da vida é o símbolo que identifica o Pré Hospitalar, é também considerada como o símbolo internacional da Paramedicina e dos Técnicos em Emergências Médicas, devido à Serpente e o Bastão.

Reconhecido pela profissão médica como símbolo da Emergência Médica, seu uso é encorajado tanto pela Associação Médica Americana como pelo Conselho Consultivo do Departamento de Saúde, Educação e Bem Estar.

Desenhado por Leo R. Schwartz, Chefe do Departamento do Serviço de Emergência Médica (EMS) da Administração Nacional de Segurança do Tráfego Rodoviário (NHTSA), a "Estrela da Vida" foi criada após a Cruz Vermelha Nacional Americana ter reclamado, em 1973, do uso comum de uma cruz Omaha alaranjada sobre um fundo quadrado branco reflexivo que claramente imitava o símbolo da Cruz Vermelha. A NHTSA investigou e considerou a objeção justificada.

O novo desenho, a cruz de seis barras, foi adaptada do Símbolo de Identificação Médica da Associação Médica Americana e foi certificada como marca registrada em 1° de fevereiro de 1977 pelo Comissário de Patentes e Marcas Registradas em nome da Administração Nacional de Segurança do Tráfego Rodoviário. A marca registrada permanecera em vigor durante vinte anos a partir desta. Cada uma das barras da azul "Estrela da Vida" representa a função em seis sistemas do EMS.

A cobra e o bastão de Asclepius, de acordo com a mitologia grega, foi filho de Apolo (Deus da luz, verdade e profecia). Supostamente, Asclepius aprendeu a arte da cura do centauro Cheron; mas, Zeus - rei dos Deuses, temia que devido aos conhecimentos de Asclepius, todos os homens poderiam tornar-se imortais, para que isso não ocorresse, Zeus matou Asclepius com um raio.

Posteriormente, Asclepius foi venerado como um Deus, e o povo dormia nos seus templos, pois era dito que por meio de remédios receitados ele curava os doentes durante seus sonhos.

Asclepius era geralmente representado em pé, com manto comprido, segurando um bastão com uma serpente enrolada no mesmo. Desde então o bastão veio a representar o único símbolo da medicina. No Caduceu, usado pelos médicos e pelo Corpo Médico Militar, o bastão é alado e tem duas serpentes entrelaçadas. Mesmo que isto não tenha nenhuma relevância médica na origem, representa a vara mágica do Deus grego, mensageiro dos Deuses.

A Bíblia, em Números 21:9, refere-se a uma serpente num bastão: "Portanto, Moisés fez uma serpente de bronze e montou-a num poste e, quando qualquer pessoa, mordida por uma cobra, olhava para a serpente de bronze, recuperava-se".

A Estrela tem seu significado próprio e cada uma de suas extremidades tem uma representação das funções da Emergência no Pré Hospitalar.


1) Detectar a Emergência;

2) Reportar-se a Emergência;

3) Enviar a Equipe e o equipamento adequado;

4) Cuidados no local;

5) Cuidados em transito;

6) Transferência para o tratamento definitivo.


A NHTSA tem direito exclusivo para monitorar seus usos em todo os Estados Unidos. Seu uso nos veículos de tratamento médico assegura que tais veículos atendam às normas do Departamento de Transporte dos EUA e garante que o pessoal de tratamento médico de emergência, que o usa, foi treinado para atender essas normas. Seu uso nas placas e mapas rodoviários, indica o local ou acesso aos serviços qualificados de tratamento de emergência. Não é permitido nenhum outro uso do símbolo, exceto conforme relacionado abaixo.


1) Como meio de identificação para equipamentos e suprimentos médicos para instalação e uso em Ambulância de Tratamento Médico de Emergência.


2) Para indicar o local de serviços médicos qualificados e acesso a tais instalações.


3) Nos emblemas usados nos ombros somente por pessoal que tenha satisfatoriamente concluído cursos de treinamento DOT ou equivalentes aprovados e por pessoas que por título e função administram, supervisionam diretamente ou participam num todo ou em parte de programas EMS nacionais, estaduais ou comunitários.


4) Em itens pessoais do EMS - emblemas, insígnias e fivelas.


5) Livros, panfletos, manuais, relatórios ou outro material impresso que tenha aplicação direta no EMS.


6) O símbolo "Estrela da Vida" por ser usado por pessoal administrativo, diretores de projetos e equipes, conselhos e grupos consultivos.


Caso sejam usados emblemas nos ombros, deverão ser uma simples azul, "Estrela da Vida" sobre fundo branco quadrado ou redondo. A função, letras ou palavras de identificação deverão ser impressas em barras afixadas separadamente ao longo da parte inferior. As bordas do emblema básico e das barras de função deverão ser bordadas