Eu Transo, Ela Transa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Eu Transo, Ela Transa
Sandra Barsotti e Fernando Torres
 Brasil
1972 •  cor •  100 min 
Direção Pedro Camargo
Roteiro Pedro Camargo (roteiro)
Jota Gama (peça teatral)
Elenco Jorge Dória
Sandra Barsotti
Marcos Paulo
Darlene Glória
Daisy Lúcidi
Género Drama
Música Carlos Lyra
Idioma Português
Página no IMDb (em inglês)

Eu Transo, Ela Transa é um filme brasileiro de 1972, dirigido por Pedro Camargo e do gênero drama[1]. Música de Carlos Lyra e Jesus Rocha[2]. O roteiro do diretor é baseado na peça teatral "Copacabana S/A" de Jota Gama.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

No Rio de Janeiro, Roberto é um chefe de família falido com três filhos adolescentes e morando com a cunhada solteirona e o pai inválido. Ele resolve melhorar suas finanças emprestando um quarto da casa da família para os encontros clandestinos de um cliente industrial, Guimarães. Mas a moça recém-chegada, Helena, e o filho mais velho de Roberto, Carlos, se apaixonam, colocando em risco o plano do homem [1].

Elenco[editar | editar código-fonte]

Canções da trilha sonora[editar | editar código-fonte]

  • "Estupidez"
De Roberto Carlos e Erasmo Carlos;
Intérprete: Gal Costa
  • "Coração vagabundo"
De Caetano Veloso;
Intérprete: Gal Costa
  • "Dê um rolê"
De Morais e Galvão;
Intérprete: Gal Costa
  • "You don't know me" - Caetano Veloso
  • "Média luz"
De Donato
Intérprete: Hector Varela

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.