Exército Vermelho Japonês

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Exército Vermelho Japonês
日本赤軍
Líder Fusako Shigenobu

Tsuyoshi Okudaira

Fundador Fusako Shigenobu
Fundação 1971
Dissolução 2001
Ideologia Marxismo-Leninismo

Republicanismo Socialismo Revolucionário

Espectro político Extrema-esquerda
Dividiu-se de Red Army Faction (赤軍派, Sekigun-ha)
País Japão

O Exército Vermelho Japonês (日本赤軍 Nihon Sekigun?) foi um grupo comunista que surgiu em meados de 1969[1]. Sua principal base social eram estudantes universitários japoneses, e o grupo seguia uma linha Marxista-Leninista, Anti-Monarquista e Anti-Imperialista. O grupo foi extinto em 2001[2].

História[editar | editar código-fonte]

Suas origens podem ser traçadas à organização revolucionária Liga Comunista (Japão), e à sucessora Fração do Exército Vermelho (Japão)[3]. Neste último, onde militava Fusako Shigenobu, era feita uma defesa à Revolução Armada e ao terrorismo como métodos para obter o Socialismo e abolir a monarquia no japão. O grupo foi duramente reprimido, e 200 dos membros restantes, Fusako entre eles, se uniram a militantes maoistas para formar o Exército Vermelho Unificado (連合赤軍, Rengō Sekigun), que posteriormente se tornaria o Exército Vermelho do Japão

Ao longo dos anos, o Exército Vermelho foi autor de diversas ações de grande repercussão internacional. Dentre elas há vários desvios de aviões e ataques a embaixadas Ocidentais. Em 4 de agosto de 1975, uma dezena de seus militantes ocuparam o consulado dos Estados Unidos em Kuala Lumpur, exigindo a libertação de sete companheiros detidos no Japão, cinco dos quais saíram do cárcere e em 1986 atacaram com rockets as embaixadas dos Estados Unidos e Canadá em Jacarta, Indonésia. Em 1987 atacaram do mesmo modo as embaixadas dos Estados Unidos e Grã-Bretanha em Roma. Em 1990 atacaram com rockets de fabricação artesanal os palácios imperiais em Tóquio e Kyoto.

Referências

  1. «Japanese Red Army (JRA)». Terrorism Research and Analysis Consortium 
  2. «Shigenobu declares end of japanese red army». Japan Times. 16 de abril de 2001. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  3. «Japanese Red Army (JRA) Anti-Imperialist International Brigade (AIIB)». Consultado em 24 de setembro de 2021