Exame retal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Exame retal sendo realizado, com a polpa digital do examinador em contato com a projeção da próstata na parede do reto

O exame retal, realizado através de toque retal (TR), é um exame realizado por um médico para avaliar as condições internas do reto. É importante para o diagnóstico de diversas doenças, entre elas, o câncer de próstata.

Procedimento[editar | editar código-fonte]

O paciente é deitado na maca em uma posição em que o ânus seja acessível e relaxado (deitado de lado, apoiado na mesa de exame, de ventre para cima, etc.). O médico vestindo luvas, lubrifica seu dedo indicador em uma solução (com ou sem anestésico). Solicitando que o paciente efetue um leve esforço defecatório, para facilitar a protrusão da mucosa, o médico insere o indicador no reto passando através do ânus e palpa seu interior.

O não relaxamento da musculatura do ânus (músculo esfíncter externo do ânus) devido à ansiedade ou contração voluntária pode causar desconforto e dor.

Uso para diagnóstico[editar | editar código-fonte]

O TR é uma parte importante do exame geral realizado pelo médico, já que muitos tumores e outras doenças se manifestam na porção distal do reto.

Entretanto, o TR é inadequado para o monitoramento de câncer colorretal por examinar menos de 10% da mucosa colorretal, sendo neste caso a colonoscopia o método de exame de preferência.

O TR pode ser usado para:

O TR é frequentemente combinado com um exame de sangue oculto nas fezes, que pode ser útil para o diagnóstico da etiologia de uma anemia e/ou confirmar um sangramento gastrointestinal.

Às vezes a proctoscopia pode também fazer parte do exame retal.

Ver também[editar | editar código-fonte]