Exotérico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Exotérico se refere ao conhecimento que está fora e independente da experiência de uma pessoa e pode ser verificado por qualquer pessoa (relacionado ao bom senso). Existe em oposição ao termo "esotérico", oculto, aquilo que é entendido somente pelos iniciados. [1]

A palavra é derivada da forma comparativa do grego "ἔξω" (eksô, "de, de, de fora"). Significa tudo o que é público, sem limites ou universal. É distinto do conhecimento esotérico interno. "Exotérico" se relaciona com a realidade externa em oposição aos pensamentos ou sentimentos de uma pessoa. É o conhecimento público e não secreto ou cabalístico. Não é necessário que o conhecimento exotérico venha fácil ou automaticamente, mas deve ser referenciável ou reproduzível. [2]

Contexto Filosófico[editar | editar código-fonte]

A maioria dos sistemas de crenças filosóficas e religiosas presumem que a realidade deve ser independente do que um indivíduo faz dela. No entanto, mesmo antes dos dias de Platão, uma proeminente teoria alternativa do conhecimento insistia que a realidade externa percebida é meramente uma fabricação interna do observador e que não tem existência ou substância fora da imaginação do observador. A declaração do Buda: "Tudo o que somos surge com nossos pensamentos" ( Dhammapada 1.1) é uma reminiscência disso. [3]

Em seu livro intitulado O Livro dos Cinco Anéis , o mestre espadachim japonês Miyamoto Musashi observou que quando ele ensina artes marciais às pessoas, "já que [ele] geralmente os faz aprender coisas que têm relevância real para abordar [princípios mais profundos], não existe tal coisa como uma distinção entre o esotérico e o exotérico. " [4]

Como esclarece Marcel Henrique Rodrigues [5]:

Assim, percebemos um “esquecimento” das antigas tradições esotéricas que permearam e permeiam diversas religiões e escolas filosóficas, uma vez que muitos dos conhecimentos esotéricos ainda estejam, de certa forma, reservados hoje aos iniciados de tais fraternidades, como, por exemplo, a Maçonaria e a RosaCruz. Esse “esquecimento” ou não aprofundamento em pesquisas pode ser reflexo desse comportamento. (...) Explorar a natureza histórica de uma sociedade que permaneceu secreta, ou para não dizer na clandestinidade por centenas de anos, é uma tarefa difícil para o cientista que estuda o fenômeno religioso. (...) É possível viver a espiritualidade, e os enigmas e os símbolos esotéricos como faziam os egípcios, no entanto, somente por analogia. Em termos científicos, não existem provas cabais que ligam a contemporaneidade das atuais sociedades esotéricas, com as sociedades do mundo antigo.[5]

Contexto religioso[editar | editar código-fonte]

Da mesma forma que o termo "esotérico" é frequentemente associado à espiritualidade esotérica , o termo "exotérico" é usado principalmente em discussões sobre religião e espiritualidade, como quando os ensinamentos mudam o foco do crente de uma exploração do eu interior para uma adesão a regras, leis e um Deus individual. O termo "exotérico" também pode refletir a noção de uma identidade divina que está fora e diferente da identidade humana, enquanto a noção esotérica afirma que o divino deve ser descoberto dentro da identidade humana. Indo um passo adiante, a noção panteísta sugere que o mundo divino e o mundo material são um e o mesmo. A interpretação ismaelita do islamismo xiita opera na estrutura de uma coexistência entre a forma exotérica ( zahir ) e a essência esotérica ( batin ). Sem o esotérico, o exotérico é como uma miragem ou ilusão sem lugar na realidade. [6]

Governo[editar | editar código-fonte]

A forma exotérica de governo é aquela em que todas as ações tomadas pelo governo devem ser divulgadas publicamente e ratificadas pelo público. Isso costuma ser chamado de transparência da governança. [7]

Sociedades[editar | editar código-fonte]

Muitas sociedades são divididas em 2 seções - a exotérica ou "face pública" e a esotérica ou "à porta fechada". Essas são muitas organizações fraternas , como a Maçonaria , que em algum nível são acessíveis aos não iniciados, mas que têm níveis cada vez mais altos de iniciação conforme a pessoa progride.[8]

Veja também:[editar | editar código-fonte]

Realismo Filosófico

Qualia

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Exoteric vs. Esoteric: What's the Difference?». Main Difference (em inglês). 8 de julho de 2021. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  2. «Exoteric vs. Esoteric: What's the Difference?». Main Difference (em inglês). 8 de julho de 2021. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  3. «The Dhammapada» (PDF). Consultado em 30 de setembro de 2021 
  4. Miyamoto Musashi. The Book of Five Rings. Translated by Thomas Cleary. Shambhala Library. Boston & London. 2003. p. 86.
  5. a b Marcel Henrique, Rodrigues. «A Rosa-Cruz: os primórdios de uma fraternidade esotérica». dx.doi.org. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  6. Virani, Shafique N. (2010). "The Right Path: A Post-Mongol Persian Ismaili Treatise". Iranian Studies. 43 (2): 197–221. doi:10.1080/00210860903541988. ISSN 0021-0862.
  7. Mark, Fenster. «The Opacity of Transparency». Consultado em 30 de setembro de 2021 
  8. «Exoteric/Esoteric». Brill’s New Pauly. Consultado em 30 de setembro de 2021