Felisberto Hernández

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Felisberto Hernández
Nascimento outubro de 1902
Montevidéu, Uruguai
Morte 1964 (62 anos)
Montevidéu, Uruguai
Nacionalidade Uruguai Uruguaio
Ocupação Escritor
Magnum opus Las Hortensias

Felisberto Hernández (Montevidéu, outubro de 1902 - Montevidéu, 1964) foi um escritor uruguaio.

Em 1926, passou a trabalhar como pianista num café de Montevidéu, iniciando sua longa carreira de concertista. Paralelamente, lançou quatro livros de contos.

Em 1942 vendeu o piano e abandonou a música. Esse gesto marcou uma época de intensa atividade literária lançando livros como Cavalo perdido, Por los tiempos de Clemente Colling e Nadíe encendia las lampadas. Em 1946 uma amigo lhe arranjou uma bolsa do governo francês e foi estudar em Paris. Em 1948 voltou à Montevidéu, onde morou até falecer em 1964.

De fato o modo como o autor coloca objetos inanimados como personagens marcantes da história é algo inconfundível em sua obra. A maioria de seus contos é escrito em primeira pessoa, em geral por um narrador obsessivo que nos transporta para dentro de seus delírios, transpondo as barreiras entre o real e o fantástico, transformando o sonho numa realidade muito mais presente que as partes "realistas" de sua obra.

Autores como Julio Cortázar, Gabriel García Márquez e Italo Calvino se dizem influenciados por Hernandez, que é tido como um dos maiores escritores ainda desconhecidos da América Latina.

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.