Fenómeno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde setembro de 2009). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.

Um fenómeno (português europeu) ou fenômeno (português brasileiro) é um acontecimento observável1 , particularmente algo especial (literalmente "algo que pode ser visto", derivado da palavra grega phainomenon = "observável") como, por exemplo, na área da física, como feito por Galileu Galilei.2

Noção de fenómeno segundo Kant[editar | editar código-fonte]

Um fenómeno tem um significado específico na filosofia de Immanuel Kant que contrastou o termo "Fenómeno" com "Nómeno" na "Crítica da Razão Pura". Os fenómenos constituem o mundo como nós o experimentamos, ao contrário do mundo como existe independentemente de nossas experiências (thing-in-themselves, das Ding an sich, "das coisas-em-si"). Segundo Kant, os seres humanos não podem saber da essência das coisas-em-si, mas saber apenas das coisas segundo nossos esquemas mentais que nos permitem apreender a experiência — o termo "filosofia" na época de Kant seria, hoje o equivalente aproximado do que chamamos de "ciência". A filosofia deve, portanto, preocupar-se em compreender o próprio processo da experiência.

O conceito de fenómeno levou a uma tradição filosófica conhecida como fenomenologia. Algumas personalidades de destaque nesta tradição: Hegel, Husserl, Heidegger e Derrida.

A percepção de Kant acerca dos fenómenos foi também interpretada como influenciadora no desenvolvimento de modelos psicodinâmicos da psicologia, e de teorias acerca do modo como o cérebro e a mente interagem com o mundo exterior.

Fenómeno no senso comum[editar | editar código-fonte]

De uma forma geral, além do seu uso específico como termo de filosofia, fenómeno é a definição de qualquer evento observável. Os fenómenos constituem os dados em bruto da ciência e são frequentemente alterados pela tecnologia, por exemplo, o curso e caudal naturais de um rio podem ser alterados pela construção de uma barragem.

É possível listar fenómenos que são relevantes em praticamente qualquer campo de pesquisa, por exemplo, no caso da óptica e luz podem ser incluídos fenómenos observáveis sob o tema fenómeno óptico.

Alguns exemplos:

Alguns eventos possíveis de ser observados são ocorrências naturais, como os fenómenos climáticos, outros requerem operações delicadas e manipulação de equipamento dispendioso e sensível, como os fenómenos biológicos ao nível celular, ou ao nível molecular.

Existe uma classe de fenómenos geralmente excluída do conhecimento assumido como válido (do domínio da parapsicologia) que os cientistas tendem a optar por não utilizar e que são agrupados e discutidas sob o tema fenómenos anómalos.

Citações[editar | editar código-fonte]

  • "Nenhum fenómeno é fenómeno até ser observado." Niels Bohr.

Referências

  1. New Oxford American Dictionary (2 ed.).
  2. Jeremy Bernstein, A Theory for Everything, Copernicus, An imprint of Springer.