Festival Panafricano de Cinema e Televisão de Ouagadougou

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sede do FESPACO

O Festival Panafricano de Cinema e Televisão de Ouagadougou (em francês: Festival panafricain du cinéma et de la télévision de Ouagadougou - FESPACO) é o maior festival de cinema da África[carece de fontes?] e é realizada a cada dois anos, em Ouagadougou, Burkina Faso, onde a organização está sediada. O festival de cinema teve lugar pela primeira vez em 1969, na altura como o Festival Premier de Cinéma Africain de Ouagadougou e não como Semaine du cinéma africain, como é frequentemente reivindicado. Isto está claro pelo que escreve o então membro fundador do FESPACO em seu livro, como evidência no livro existe também o cartaz do então festival.[1] O Festival aceita para a competição apenas filmes de cineastas africanos e principalmente produzidos na África. o FESPACO acontece em março, duas semanas após o último sábado de fevereiro. A sua noite de abertura é realizada no Stade du 4 Août, o estádio nacional.[2]

O festival oferece a profissionais de cinema africanos a oportunidade de estabelecer relações de trabalho, trocar ideias e promover o seu trabalho. O objetivo declarado do FESPACO é "contribuir para a expansão e desenvolvimento do cinema africano como meio de expressão, educação e sensibilização". Ele também tem trabalhado para estabelecer um mercado para filmes africanos e profissionais da indústria. Desde a fundação da FESPACO, o festival tem atraído participantes de todo o continente e de outras regiões.[2]

Vencedores[editar | editar código-fonte]

  • 1972: Le Wazzou polygame von Oumarou Ganda (Niger)
  • 1973: Les Mille et Une Nuits von Souheil Ben Barka (Marokko)
  • 1976: Muna Moto von Dikongue Pipa (Kamerun)
  • 1979: Baara von Souleymane Cissé (Mali)
  • 1981: Djeli von Fadika Kramo-Lanciné (Elfenbeinküste)
  • 1983: Finyè von Souleymane Cissé (Mali)
  • 1985: Histoire d’une rencontre von Brahim Tsaki (Algerien)
  • 1987: Der Kampf der schwarzen Königin (Sarraounia) von Med Hondo (Mauretanien)
  • 1989: Heritage… Africa von Kwah Ansah (Ghana)
  • 1991: Tilaï von Idrissa Ouédraogo (Burkina Faso)
  • 1993: Au nom du Christ von Gnoan Roger M’Bala (Elfenbeinküste)
  • 1995: Guimba von Cheick Oumar Sissoko (Mali)
  • 1997: Buud Yam von Gaston Kaboré (Burkina Faso)
  • 1999: Pièces d'identités von Mwezé Ngangura (Demokratische Republik Kongo)
  • 2001: Ali Zaoua, Prinz der Straße (Ali Zaoua, prince de la rue) von Nabil Ayouch (Marokko)
  • 2003: Heremakono von Abderrahmane Sissako (Mauretanien)
  • 2005: Drum – Wahrheit um jeden Preis (Drum) von Zola Maseko (Südafrika)
  • 2007: Ezra von Newton Aduaka (Nigeria)
  • 2009: Morgentau (Teza) von Haile Gerima (Äthiopien)
  • 2011: Pégase von Mohamed Mouftaki (Marokko)
  • 2013: Tey von Alain Gomis (Senegal)
  • 2015: Fièvres von Hicham Ayouch (Marokko)
  • 2017: Félicité von Alain Gomis (Senegal)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Fespaco - Festival Panafricain du Cinéma de Ouagadougou (Burkina Faso)». African Studies Companion Online. Consultado em 26 de fevereiro de 2019 
  2. a b Fiche Technique du FESPACO. (2003).FESPACO : FICHE TECHNIQUE. Retrieved 03/26/2006 from http://www.fespaco.bf/fiche_technique2003.htm Arquivado em 10 de julho de 2004, no Wayback Machine.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.