Flávio Tavares (pintor)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Flávio Tavares
Nascimento 1950 (70 anos)
João Pessoa
Cidadania Brasil

Flávio Roberto Tavares de Melo (João Pessoa, 15 de fevereiro de 1950) é um pintor, cenógrafo e desenhista brasileiro.[1]

Vida e obra[editar | editar código-fonte]

Iniciou a sua formação no curso de pintura do artista Raul Córdula, na UFPB. Aos 18 anos, estudou com o pintor e gravador Hermano José. Abandonou o curso de Sociologia na UFPB para se dedicar exclusivamente à arte. Em 1976, publicou o álbum de desenhos O Pavão sem Mistério, para o qual Ziraldo escreveu um texto de apresentação. Aprimorou a técnica com estudos de pintura na Universidade de Yale, na Universidade de Connecticut e no Simon Rock College. Também estudou em Caiena (Guiana Francesa). Expôs suas obras em Berlim, em 1981, e em seguida em Jerusalém. Pintou cenários para peças teatrais, painéis e murais na Paraíba e em outros estados do Nordeste.

Autor de uma série de desenhos criticando a ditadura, e produz charges sobre os problemas políticos e sociais da Paraíba, do Brasil e do mundo.[2]

Em 2018, foi homenageado pelo SESC da Paraíba com o lançamento do livro A Linha do Sonho, que analisa a presença de elementos populares, oníricos e mitológicos na sua obra.[3] No mesmo ano, pintou o painel Brasil - O Golpe, em que retrata personagens da política contemporânea brasileira, como Dilma Rousseff.[4]

Exposições individuais[editar | editar código-fonte]

  • 1986 – Centro de Arte do Neguev - Israel
  • 1987 – Galeria Bonino - Rio de Janeiro
  • 1988 – Escritório de Arte de Suzete Forte - João Pessoa
  • 1988 - Banco do Equador e Consulado Brasileiro no Equador - Quito
  • 1990 – Landengalerie - Berlim
  • 1990 - Galeria Boi Só - João Pessoa
  • 1992 – Em dia – Hamburgo, Alemanha
  • 1992 – A linguagem das cores da luz - Hamburgo
  • 1992 – Cafes des Promeneurs - Grenoble
  • 1994 – Der Realism Verbindet Sie - Potsdam
  • 1995 – Galeria Gamela - João Pessoa
  • 1996 – 3º FLAAC - ECT Brasília
  • 1997 – UNFOLDING PAPER, - Nova Délhi
  • 2000 – Salão Municipal de Artes Plásticas - João Pessoa
  • 2011 – Usina Cultural Energisa
  • 2012 – Salão de Artes Visuais do SESC - João Pessoa[2]

Referências

  1. Flávio Tavares. Enciclopédia Itaúi Cultural
  2. a b Flávio Tavares. Paraíba Criativa
  3. [Obra de Flávio Tavares é homenageada em livro lançado pelo Sesc Paraíba]. Jornal da Paraíba, 26 de agosto de 2018
  4. O golpe no Brasil traduzido na arte de Flávio Tavares. Conexão Jornalismo, 27 de agosto de 2018

Ligações externas[editar | editar código-fonte]