Força Aérea do Quénia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Força Aérea do Quénia

Jeshi la Anga la Kenya

Kenya Air Force
Emblema da Força Aérea do Quênia
País Republica do Quênia
Estado Northrop F-5
Corporação Força Aérea
Unidade 152 Aeronáves
Lema Tuko Imara Angani
História
Guerras/batalhas Operação Linda Nchi
(16 Outubro de 2011–Junho de2012)


Logística
Insígnias
Insígnia 1 Roundel of Kenya.svg
Insígnia 2 Air Force Ensign of Kenya.svg
Comando
Comandante Major General Samuel Thuita
Sede
Guarnição Nairobi

A Força Aérea do Quénia (FAK) é o ramo de serviço da República do Quénia responsável pelo combate aéreo.

História[editar | editar código-fonte]

A Força Aérea do Quénia foi criada em 1 de junho de 1964, logo após a independência do país, com o apoio do Reino Unido.[1][2]

Ex-aeronaves incluem o de Havilland Canada Chipmunks e Beavers (desde 1974), seis Hawker Hunters (comprados da RAF, em operação de 1974-79), seis BAC Strikemaster (em operação a partir de 1971, e 12 BAE Systems Hawk entregues em 1980. Todos estas aeronaves já foram retiradas.

A partir de 1979-1982 o Presidente Daniel arap Moi passou a adquirir caças Northrop F-5 para escoltar o seus voos presidências para fora do país; mais tarde comentaristas apontaram que não houve ameaça que justifica o desperdício de combustível e as complexas exigências da missão de escolta.[3]

Depois de uma tentativa de golpe de estado por um grupo de oficiais da Força Aérea em 1 de agosto de 1982, a Força Aérea foi dissolvida. Em 1982 a Força aérea foi reconstituída a partir do domínio do exército,e em 1994 a Força Aérea Queniana recuperou a sua independência.

Em 10 de abril de 2006, um Harbin Y-12 caiu perto de Marsabit, com 17 pessoas a bordo, dos quais 14 morreram. Este voo carregava vários políticos, entre eles Bonaya Godana, um ex-ministro, estava entre as vítimas. O piloto em comando foi o Major David Njoroge.

Desde 1978, o F-5 tem sido o principal caça de defesa aérea. Um total de 29 foram entregues; 12 F-5E E 2 F-5F dos EUA, e 10 F-5E,3 F-5EM E 2 F-5F anteriormente em serviço com a Força Aérea Real da Jordânia. Houve controvérsia sobre a compra dos F-5 da Jordânia, que foram enviados para o Quénia e montados localmente,[4] atualmente, um grupo de F-5 está em processo de atualização(10 F-5E, 2 F-5F, e 3 F-5EM vindos da Jordânia).

Um Mil Mi-171E no aeroporto de Wilson

Aeronaves[editar | editar código-fonte]

Efetivo atual[editar | editar código-fonte]

Um Queniano Y-12
Aeronave Origem Tipo Quantidade
Caça
Northrop F-5 Estados Unidos Caça 17[5]
Reconhecimento
Cessna 208 Estados Unidos Reconhecimento
Transporte
Harbin Y-12 China Transporte
Antonov An-28 Polonia Transporte
DHC-5 Buffalo Canada Transporte
C-27J Spartan Italia Transporte
Bombardier Dash 8 Canada VIP
Helicopteros
Bell UH-1 Estados Unidos Utilidade 8
Bell AH-1 Estados Unidos Ataque 2[6]
Mil Mi-17 Russia Transporte 2[7]
Harbin Z-9 China Utilidade
SA 330 Puma França Utilidade/ Transporte
MD 500 Defender Estados Unidos Ataque 40
Aeronaves de Treinamento
Northrop F-5 Estados Unidos Treinamento 4
Short Tucano Reino Unido Treinamento 12
Grob G 120 Alemanha Treinamento 6
Bulldog T1 Reino Unido Treinamento

Referências[editar | editar código-fonte]