Fornecedor de acesso à internet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde setembro de 2016). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.

Um Fornecedor de Acesso à Internet ou Provedor de Serviço Internet (em inglês Internet Service Provider, ISP), é uma organização que oferece, principalmente, serviços de acesso à Internet, agregando a ele outros serviços relacionados, tais como "e-mail", "hospedagem de sites" ou blogs, entre outros.[1]

Fornecedor de acesso à Internet é a tradução para IAP (Internet Access Provider). IAP é uma outra maneira pela qual nos referimos ao ISP (Internet Service Provider) cuja tradução é "Provedor de Serviços de Internet". Que não configura ambiguidade pois os serviços são providos através dele, e não por ele. Não há divergência semântica entre ISP e IAP, mas levando para a nomenclatura da Anatel, existe sim divergência semântica entre SCM e PSCI (erroneamente chamado de provedor de internet).


Opções de conexão dos ISP[editar | editar código-fonte]

Geralmente, um ISP cobra uma taxa mensal ao consumidor que tem acesso à Internet embora a velocidade de transferência dos dados varie largamente.

O termo formal para velocidade de Internet é largura de banda — quanto maior for a banda, mais alta é a sua velocidade.

A velocidade de ligação à Internet pode ser dividida em duas categorias: dial-up e banda larga. As ligações dial-up requerem a utilização de linhas telefônicas, e habitualmente têm ligações de 56 kbps ou menores. As ligações de banda larga podem ser RDIS, acessos de banda larga sem fios, cable modem, DSL[desambiguação necessária], ligação por satélite ou Ethernet. A conexão de banda larga está sempre ligada (exceto o RDIS) e a velocidade varia entre os 64 kbps, 24+ Mbps(ADSL 2+) e 100+ Mbps(Fibra).

A velocidade de download de arquivos, considerando o melhor cenário para fazê-lo, nunca será igual ao que é sincronizado pelo modem ADSL (Line Rate – Downstream(kbps)), embora as operadoras sempre tentem convencer o usuário do contrário. Os dados que são requisitados no download são encapsulados dentro de um pacote de controle, esse pacote de controle confere à rede ADSL uma perda de cerca de 16 %. As normas da Anatel rezam para que as operadoras esclareçam as características do que é contratado no contrato com o usuário.

Com a crescente popularidade do compartilhamento de arquivos, o download de músicas, vídeos e outros arquivos complexos e a procura geral por carregamentos de página mais rápidos, as ligações de largura de banda superior estão a tornar-se mais populares.

A responsabilidade dos ISPs sobre direitos autorais[editar | editar código-fonte]

Comum a todos os sistemas jurídicos é o princípio de que o ISP não pode ser responsabilizada por hospedagem de materiais que viola os direitos de autor, se o ISP não tem conhecimento da violação. A principal diferença reside na ação legal tomada após o ISP for informado que o material hospedado é uma violação de direitos autorais. EUA e legislação da UE emprega o procedimento de aviso -Take-Down, que solicita o ISP para remover esse material, a fim de evitar ser processado. A lei japonesa tem uma abordagem mais equilibrada, através da comunicação -Take-Down procedimento, que proporciona ao usuário do material o direito de reclamar sobre o pedido de remoção.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]