Fotovoltaica integrada em edifícios

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fachada da Power Tower, edifício eficiente na cidade de Linz (Áustria). O cara sul do edifício está equipada com painéis solares fotovoltaicos integrados na fachada.

A energia solar fotovoltaica integrada em edifícios (em inglês conhecida como Building Integrated Photovoltaics ou por suas siglas BIPV) consiste na utilização de módulos fotovoltaicos que literalmente fazem parte da estrutura de um edifício em substituição de materiais de construção convencionais como coberturas de tetos, traga-luzes, clarabóia ou fachadas.[1]

Os módulos fotovoltaicos estão a cada vez mais incorporados desde as etapas iniciais no desenho e a construção de novos edifícios como sua fonte principal de eletricidade ou para poupança de energia, ainda que os edifícios existentes podem ser ampliados com uma tecnologia similar.

Uma vantagem da incorporação de sistemas fotovoltaicos inicialmente integrados é que o custo final pode ser compensado pela redução da despesa em materiais de construção convencionais e poupança da montagem que normalmente se utilizam para construir a parte do edifício que substituem os módulos BIPV. Estas vantagens permitem que a fotovoltaica BIPV seja um dos segmentos da indústria fotovoltaica que aumenta mais rapidamente.

Uma expressão diferente em inglês é building-applied photovoltaics ou BAPV que se refere aos sistemas fotovoltaicos que supõem uma adaptação de unidades integradas no edifício uma vez completada a construção.

A maioria das instalações integradas em edifícios são em realidade BAPV. Alguns fabricantes e construtores diferenciam a nova construção BIPV de BAPV.[2]

Módulos transparentes[editar | editar código-fonte]

No geral, costumam-se empregar módulos transparentes.[3]

Os módulos utilizados para integração fotovoltaica podem ser tanto de silício amorfo como de cristalino (poli-cristalino ou mono-cristalino) e admitem diversos graus de transparência.

Assim mesmo, para os navios de cruzeiros pode-se utilizar uma placas solares transparente, para que deixem passar parte da luz solar.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Strong, Steven (9 de junho de 2010). «Building Integrated Photovoltaics (BIPV)». wbdg.org (em inglês). Whole Building Design Guide. Consultado em 26 de julho de 2011 
  2. «Building Integrated Photovoltaics: An emerging market» (em inglês). Consultado em 6 de agosto de 2012 
  3. http://www.energias-renovables.com/articulo/eurener-presenta-un-nuevo-modulo-transparente-20130108