François Thijm

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

François Thijm (Paramaribo, 24 de dezembro de 1943 - Belém, 25 de junho de 2015) foi um goleiro surinamenho, que morou e trabalhou no Brasil a partir da década de 1960. Destacou-se por ter defendido o Clube do Remo durante várias temporadas do Campeonato Brasileiro de Futebol da primeira divisão.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

François iniciou sua carreira no Columbia, do Suriname e se transferiu pouco tempo depois para o VV Foorwaast, também do seu país natal. Em 1961 o Remo foi fazer uma excursão no Suriname, jogar alguns jogos amistosos pelo país.

O então goleiro azulino Arlindo não pôde viajar, e François, que era empregado da Surinam Airways foi oferecido por um gerente da companhia aérea, que tinha certa influência. Como não havia ônus algum, a diretoria do clube aceitou, afinal, se o arqueiro não fosse competente o suficiente, não voltaria com a delegação para o Brasil.

François brilhou na excursão e provou ser um goleiro do mais alto nível, ficando no Remo por mais de uma década. Além de colecionar títulos e defesas impressionantes, François fez as mais diversas funções dentro do clube: auxiliar técnico do então treinador Paulo Amaral, massagista, chefe de delegação, roupeiro, técnico, treinador de goleiros e coordenador técnico.

Certa vez, no Campeonato Brasileiro de Futebol de 1972, François exerceu as funções de presidente da delegação, treinador, massagista, roupeiro e goleiro reserva ao mesmo tempo, e por isso é tido como possuidor de uma personalidade muito sólida e benquisto por torcedores e dirigentes do clube.

Em 1975, o Suriname se tornou independente, e François foi convidado para receber a carteira de nacionalidade Surinamesa ou Holandesa, de acordo com sua escolha, ele disse que queria a "nacionaldidade paraense", porque preferia ser paraense, logo brasileiro, para poder ficar mais perto do clube do Remo.

Em 2007 foi recontratado pelo Remo para ser supervisor técnico.[2]

Em 25 de Junho de 2015 veio a falecer, na capital Paraense, em decorrência de problemas no pâncreas.

Referências

  1. Terceiro Tempo. «Que fim levou - François Thijm». Consultado em 6 de janeiro de 2011 
  2. IG (2 de agosto de 2007). «Remo descarta Givanildo e promete reforços. Supervisor chega». Consultado em 6 de janeiro de 2011