Francisco Ferraz de Macedo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Francisco Ferraz de Macedo (Lugar de Paradela, Espinhel (Águeda), 11 de Outubro de 1845Lisboa, 18 de Janeiro de 1907) foi um farmacêutico, médico e antropólogo. Imigrante no Brasil, foi figura de relevo na colónia portuguesa do Rio de Janeiro, onde exerceu medicina e ocupou o cargo de director geral da Associação Montepio Agrícola do Rio de Janeiro. Depois de se fixar em Lisboa, em 1881, dedicou-se ao estudo da antropologia, com destaque para a osteologia e as mensurações antropométricas e a criminologia.[1] Encontra-se publicado, postumamente, no jornal O Crime [2] (1936), um excerto de um estudo da sua autoria sobre a morfologia dos evadidos do Limoeiro. Reuniu uma colecção de milhares de ossos humanos recolhidos nos cemitérios de Lisboa. É autor de diversas publicações pioneiras na antropologia biológica portuguesa[3], e incluiu na sua tese de licenciatura o primeiro relatório sobre a homossexualidade no Brasil.[4]

Homem de culto, versado em línguas, apreciador de poesia, publicou, em 1888, Dois Dias de Ociosidade, onde reúne alguns poemas de sua autoria escritos em dois domingos de passeio a Chambésy (27 de maio de 1888) e a Champel (3 de junho de 1888), assim como duas traduções de poetas estrangeiros: Sem Título, tradução direta do russo de obras de Pushkin; e Tempo Perdido, tradução de poesias inéditas gregas do poeta Elias João Zenemvissis, seu amigo. Em 1887 já tinha publicado Sem Mãi, tradução do mesmo autor Elias João Zenemvissis.

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

  • Dois Dias de Ociosidade, Imprimerie Charles Schuchardt, Genève, 1888

Traduções[editar | editar código-fonte]

  • ZENEMVISSIS, João Elias - Sem Mãi, Imprimerie Charles Schuchardt, Genève, 1887 (tradução)
  • ZENEMVISSIS, João Elias - Tempo Perdido, Imprimerie Charles Schuchardt, Genève, 1888 (tradução de obras inéditas)
  • PUSHKIN, Alexandre - Sem Título, Imprimerie Charles Schuchardt, Genève, 1888 (tradução direta do russo de poemas extraídos da obra do autor)
Ícone de esboço Este artigo sobre um antropólogo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Notas

  1. «Nota biográfica». Bookrags.com 
  2. Rita Correia (03 de Janeiro de 2003). «O Crime: publicação de assuntos criminais (1936)» (PDF). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 29 de Janeiro de 2015.  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. «Bibliografia de Ferraz de Macedo». Triplov.com 
  4. A tese intitula-se Da Prostituição em Geral, e em Particular em Relação à Cidade do Rio de Janeiro: Prophylaxia da Syphilis (Rio de Janeiro, 1873).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]