Friedrich Jurgenson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde Dezembro de 2008). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Friedrich Jurgenson (Odessa, 1903Estocolmo, 1987)[1], foi um cientista, cineasta e crítico de arte sueco.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Friedrich Jurgenson em seus momentos de descanso, gostava de ir à sua casa de campo. Aproveitava estes momentos para relaxar e tinha o hábito de gravar o canto dos pássaros da região.

Certa vez, ao escutar uma dessas gravações, deparou-se com vozes humanas no meio dos cantos. Achou bastante estranho, pois estava absolutamente sozinho ao realizar as gravações no meio de um bosque. Ao ouvir com mais cuidado, notou que eram vozes de pessoas e podiam ser percebidas palavras em vários idiomas, o que descartaria a hipótese de interferência de alguma rádio. Aprofundando-se mais em novas tentativas de gravação, assombrou-se porque percebera que as vozes o chamavam pelo nome, apelidos e podiam responder a perguntas feitas ali no local, o que também descartava a hipótese de captação de rádio-amador ou outro tipo de transmissão à distância. Indagadas de quem seriam aquelas vozes, a resposta não tardou: "Somos os mortos...".

Lançou o livro Telefone para o Além, tornando o assunto conhecido ao grande público.

Referências

  1. Raymond Buckland: The spirit book, 2005 (Digitalisat)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Telefone para o Além. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.