Menina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Garota)
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Menina (desambiguação).
Menina indígena Ashaninka Aldeia Apiwtxa, Acre, Brasil

Uma menina, garota ou guria (no Sul do Brasil) é uma pessoa do sexo feminino desde o nascimento até a infância e adolescência até a idade adulta quando se torna mulher. O termo também é usado frequentemente como um sinônimo para a filha.[1]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Ver também: Infanticídio
Razão entre meninos e meninas, com idade abaixo de 15 anos (dados mundiais de 2006). Azul: abaixo de 0,99; Branco: 1,0-1,13; Vermelho: acima de 1,13

Nascem um pouco mais meninos do que meninas (nos EUA essa proporção é de cerca de 105 meninos nascidos por cada 100 meninas),[2] Mas as meninas são ligeiramente menos propensos a morrer durante a infância do que os meninos, de modo que a proporção para menores de 15 anos de idade varia entre 103 e 108 meninos por cada 100 meninas.[3][4]

Na Índia, em 2011, havia 91 meninas menores de 6 para cada 100 meninos. Seu censo de 2011 mostrou[5] que a proporção de meninas para meninos com idade inferior a 6 anos de idade caiu mesmo durante a última década, de 927 meninas para cada 1 000 meninos em 2001 para 918 meninas para cada 1 000 meninos em 2011. Na China, estudiosos relatam 794 meninas para cada 1 000 meninos em regiões rurais.[6] No Azerbaijão, os últimos 20 anos de dados de nascimento sugerem que 862 meninas nasceram por cada 1 000 meninos, em média a cada ano.[7] Steven Mosher, Presidente do Instituto de Pesquisa Populacional em Washington, DC disse: "Vinte e cinco milhões de homens na China não conseguem encontrar noivas porque há uma escassez de mulheres [...] jovens vão para o exterior para encontrar noivas." O desequilíbrio de gênero nessas regiões também é culpado por estimular o crescimento do comércio de sexo comercial; O relatório da ONU de 2005 afirma que até 800 000 pessoas são traficadas através das fronteiras a cada ano, e 80% são mulheres e meninas.[8]

Os estudiosos não são claros e estão em disputa quanto às possíveis causas de variações nas proporções dos sexos humanos ao nascer.[9][10] Os desvios na proporção de sexo ao nascimento podem ocorrer por causas naturais. Por exemplo, em 2012, Liechtenstein relatou uma proporção de sexo de 1,26 no nascimento (ou 794 meninas para cada 1 000 meninos).[11]

Biologia[editar | editar código-fonte]

Em geral, as meninas desenvolvem características femininas herdando dois cromossomos X (XX), um do pai e outro da mãe.[12]

Cerca de uma em cada mil meninas tem um cariótipo 47, XXX e uma em cada 2 500 tem o 45, X.

As meninas tipicamente têm um sistema reprodutivo feminino. Algumas crianças intersexuais com genitais ambíguos, algumas crianças transgêneros, originalmente atribuídas ao sexo masculino no nascimento, também podem ser classificadas ou auto-identificadas como meninas.[13]

Referências

  1. «Girl - Definition and More from the Free Merriam-Webster Dictionary». Merriam-webster.com. 31 de agosto de 2012. Consultado em 4 de junho de 2014  (em inglês)
  2. «CIA Fact Book». The Central Intelligence Agency of the United States 
  3. James WH (1987). «The human sex ratio. Part 1: A review of the literature»: 721–752. PMID 3319883. Consultado em August 2011  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  4. James WH (1987). «The human sex ratio. Part 2: A hypothesis and a program of research»: 873–900. PMID 3327803. Consultado em August 2011  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  5. CHILD SEX RATIO IN INDIA Dr C Chandramouli, Registrar General & Census Commissioner, India (2011) (em inglês)
  6. Wei Xing Zhu, Li Lu, Therese Hesketh, China's Excess Males, Sex Selective Abortion, and One Child Policy: Analysis of Data from 2005 National Intercensus Survey, BMJ: British Medical Journal, Vol. 338, No. 7700 (Apr. 18, 2009), pp. 920-923
  7. «Gender Statistics Highlights from 2012 World Development Report». World DataBank, a compilation of databases by the World Bank. February 2012  Verifique data em: |date= (ajuda)
  8. Karabin, Sherry (13 June 2007). «Infanticide, Abortion Responsible for 60 Million Girls Missing in Asia». Fox News [S.l.: s.n.] Consultado em October 11, 2011  Verifique data em: |access-date=, |date= (ajuda)
  9. James W.H. (July 2008), "Hypothesis:Evidence that Mammalian Sex Ratios at birth are partially controlled by parental hormonal levels around the time of conception", Journal of Endocrinology 198 (1), pp 3–15
  10. France MESLÉ; Jacques VALLIN; Irina BADURASHVILI (2007). A Sharp Increase in Sex Ratio at Birth in the Caucasus. Why? How? (PDF) Committee for International Cooperation in National Research in Demography [S.l.] pp. 73–89. ISBN 2-910053-29-6 
  11. Human sex ratio Liechtenstein, The World Factbook, CIA (2013)
  12. Ambiguous genitalia retrieved 3 February 2012
  13. Ethics And Intersex Sharon E. Sytsma
Ícone de esboço Este artigo sobre antropologia ou um antropólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.