Gary L. Stewart

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde março de 2011)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.

Gary L. Stewart, nascido a 26 de fevereiro de 1953 em Stockton, Califórnia, foi o Imperator e o presidente da diretoria da AMORC entre 1987 e 1990. Após alegações internas de desvio de fundos, foi afastado do cargo de presidente pela diretoria da AMORC. Em 10 de agosto de 1993, a AMORC solicitou ao Tribunal Superior do Condado de Santa Clara na Califórnia a retirada das acusações feitas contra ele em prejuízo dela. Em 1996, fundou uma outra organização dedicada ao Rosacrucianismo denominada Confraternidade da Rosa+Cruz (CR+C), da qual é o atual Imperator. Gary L. Stewart também é o Cavaleiro Comandante (Knight Commander) da Ordo Militiae Cruciferae Evangelicae (OMCE) e Grande Mestre Soberano (Sovereign Grand Master) da Ordem Martinista Britânica (BMO - British Martinist Order).

Atualmente, a Ordem Martinista Britânica está ativa nos países de língua inglesa, em Gana e no Brasil. As demais organizações estão ativas nos Estados Unidos, Reino Unido, Gana, Brasil, Austrália e em outros países.

Questões Legais[editar | editar código-fonte]

Em 1990, Stewart foi removido de seu cargo de presidente da diretoria da AMORC pelo voto majoritário da nova diretoria expandida da organização e foi processado no Tribunal Superior da Califórnia com alegações de desfalque (Caso nº. 1-90-CV-700028, Rosicrucian Order-Vs-Stewart Et Al). Além de outras pessoas, o Silicon Valley Bank e o Banc Agricol i Comercial foram também acusados nessa ação. As alegações de desfalque envolveram a acusação de obtenção de uma linha de crédito de cinco milhões de dólares em nome da AMORC com o Silicon Valley Bank e a transferência de três milhões de dólares para o Banc Agricol em Andorra sem a aprovação adequada da diretoria. Stewart afirma que os fundos foram transferidos de uma conta bancária da AMORC para outra da própria instituição com o propósito de lançar a semente para formação de uma Grande Loja na Espanha. A maioria dos diretores da AMORC afirmava que o estabelecimento de uma linha de crédito e a subseqüente transferência de fundos foram feitos sem seu conhecimento. Uma transferência adicional de quinhentos mil dólares, que Stewart sustentava visar o pagamento de honorários e lançar as sementes para outros programas correlatos da AMORC, também estava sendo discutida na ação.

Stewart respondeu alegando que todas as transações bancárias haviam sido feitas adequadamente e toda documentação, incluindo a decisão corporativa para se fazer o empréstimo, havia sido devidamente assinada pelos diretores adequados. A alegação de Stewart foi apoiada pelo Silicon Valley Bank. Adicionalmente, Stewart moveu uma reconvenção que incluía alegações de malversação financeira e de desfalque por parte de vários outros diretores. Em dezembro de 1991, Stewart solicitou a retirada de toda sua reconvenção em seu prejuízo (o que significa que ele não pode propor tal ação novamente) e ela foi oficialmente retirada em 7 de janeiro de 1992.

Em 1993, a Insurance Company of North America solicitou permissão, como parte interessada, para participação na ação movida pela AMORC e para a continuação do processo, alegando fraude em seguros por parte da AMORC resultante de solicitação em outubro de 1990 de pagamento de indenização relativa a este caso. Após essa solicitação da Insurance Company of North America, a AMORC buscou ativamente entrar em acordo com todas as partes envolvidas em sua ação e Stewart foi contatado em 27 de maio de 1993. Em 10 de agosto de 1993, a ação da AMORC contra Stewart foi acordada fora dos tribunais e foi retirada pela AMORC em prejuízo dela (o que significa que a AMORC não pode propor tal ação novamente contra ele).

As ações entre Stewart e a AMORC foram acordadas fora dos tribunais e nenhuma das partes envolvidas na ação e na reconvenção foi jamais acusada ou condenada de quaisquer crimes. Não houve nenhuma decisão judicial relativa a essas ações e Stewart nunca contestou o direito da diretoria da AMORC de removê-lo, por voto majoritário, de seu cargo de presidente. A questão de se ele poderia ou não ser removido legalmente do Ofício de Imperator nunca foi considerada — nem pelos tribunais nem pelas diretrizes internas da AMORC, conforme eram definidas pela Constituição e pelos Estatutos que dirigiam a organização naquela época.

Stewart foi também processado em 1992 por Maynard Law Offices por quebra de contrato (Caso nº. 1-92-CV-720163, Maynard Law Offices-Vs-Stewart), pois estava impossibilitado de pagar os honorários advocatícios. A questão foi resolvida por conciliação naquele mesmo ano.

Referências[editar | editar código-fonte]

Digitando-se os números dos casos 190CV700028 ou 192CV720163 (através do Index Search by CASE #) na ligação externa da Superior Court of California, County of Santa Clara mencionada abaixo, pode-se obter as informações resumidas dos processos aos quais este artigo se refere:

Imperatores da AMORC[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]