Gil Manrique de Manzanedo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gil Manrique de Manzanedo
Cônjuges Teresa Fernandes, senhora de Vilalobos
Morte ca. 1243
Pai Manrique Gomes de Manzanedo
Mãe Toda Vélaz

Gil Manrique de Manzanedo (m. ca. 1243), rico-homem com origem no reino de Castela, senhor de Manzanedo e de Villalobos pelo seu casamento, foi o filho mais velho de Manrique Gomes de Manzanedo[1] e de Toda Vélaz.[2][a]

Esboço biográfico[editar | editar código-fonte]

Aparece pela primeira vez na documentação em Aguilar de Campoo em 1204 com seus irmãos, Gómez, Ruy e Maria, numa venda de umas propriedades. Participou na Batalha das Navas de Tolosa em 1212 com seus irmãos Gomes Manrique, mestre da Ordem de Calatrava, e Rodrigo Manrique de Lara, primeiro senhor de Amusco.[3][4] Em 1217 esteve envolvido no conflito pela sucessão do rei Henrique I de Castela e inicialmente apoiou a rainha Berengária mas depois, em 1218, ficou do lado dos Lara e deixou o reino de Castela e foi para o reino de Leão onde governou as tenências de Toro, Castronuevo e Mayorga até 1222.[5]

Esteve com seus irmãos Gomes, Rodrigo e Fernando Manrique na conquista de Córdova em 1236.[1] Em outubro 1238, ele e sua esposa fizeram uma doação à Ordem de Calatrava e foram admitidos na ordem como "familiares no espiritual e material".[6] A última vez que aparece na documentação foi em 1243 e provavelemente, ele e sua esposa Teresa foram sepultados no convento da Ordem de Calatrava.[7]

Casamento e descendência[editar | editar código-fonte]

Casou com Teresa Fernandes,[5][8] senhora de Villalobos e filha de Fernando Gonçalves, senhor de Villalobos—da linhagem dos Flaínez, filho de Gonçalo Osório, senhor de Villalobos, filho a sua vez do conde Osório Martines—e de Elvira Pelaez.[9][a] Deste matrimónio nasceram:

  • Álvaro Gil de Manzanedo,[10] senhor da casa de Manzanedo, ao contrário de seus irmãos, não usou o sobrenome de Vilalobos. Casou com Toda Fernandes, senhora de Brizuelas, filha de Fernando Álvares Girão e Teresa Rodrigues de Lara, os pais de Teresa Alvares, senhora de Brizuela e Manzanedo, a esposa de Nuno Guilhén de Gusmão, filho de Guilhén Peres de Gusmão e Maria Gonçalves Girão.[11]
  • Ruy Gil de Vilalobos (morto em 1289),[12] senhor de Vilalobos, casou com Maria Dias de Haro, senhora de Autillo, filha de Lope Ruiz de Haro o Chico e de Berengária Gonçalves Girão.[13]
  • Gonçalo Gil de Vilalobos casou com Maior Afonso de Meneses, 6.ª senhora de Meneses que depois de enviuvar, casou com Afonso de Molina, e foi a mãe da rainha Maria de Molina.[12]
  • Gomes Gil de Vilalobos,[12] cónego da Catedral de Leão
  • Teresa Gil de Vilalobos, a esposa de Gomes Gonçalves de Roa.[14]

Notas[editar | editar código-fonte]

[a] ^ Salazar y Castro diz, erroneamente, que Teresa foi a filha de Fernando Rodrigues de Castro "o Castelhano", e de Teresa Ossorio. No entanto, a primeira mulher de Fernando foi Constança Osório, filha do conde Osório Martins, sem descendência deste casamento.

Referências

  1. a b Salazar y Castro 1697, p. 424, cap. VII.
  2. Sánchez de Mora 2003, p. 239.
  3. Martínez Díez 1997, p. 40-49.
  4. Sánchez de Mora 2003, p. 467.
  5. a b Sánchez de Mora 2003, p. 468, Vol. I.
  6. Rodríguez-Picavea Matilla 1999, p. 115, doc. 209.
  7. Salazar y Castro 1697, p. 426, cap. VII.
  8. Martínez Díez 1997, p. 40-43.
  9. Salazar y Acha 1996–1997, p. 158.
  10. Salazar y Castro 1697, p. 428 cap VII e 431- cap. VIII.
  11. Salazar y Castro 1697, p. 428, Cap. VII e 431-433 cap. VIII.
  12. a b c Salazar y Castro 1697, p. 429, cap. VII.
  13. Salazar y Castro 1697, p. 435-436, cap. IX.
  14. Salazar y Castro 1697, p. 430, cap. VII.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História da Península Ibérica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.