Giselle (balé)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde outubro de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Giselle, é um balé romântico em dois atos. Foi inicialmente interpretado pela Ópera Nacional de Paris em 1840 e tornou-se muito popular, tomando os palcos da Europa, Rússia e Estados Unidos. A trilha sonora foi composta por Adolphe Adam e a peça é dançada ao som de músicas familiares ao balé francês. É um dos poucos balés dessa tradição que ainda são apresentados nos palcos, sendo dançado em tutu romântico (saias de bailarina na altura da panturrilha).

O balé conta sobre uma camponesa chamada Giselle, que padece de uma desilusão amorosa, após descobrir que seu amor a traiu e tem como destaque as Wilis, espíritos de virgens que morreram antes de casarem, que levam os homens à morte pela dança. Tais criaturas eram muito famosas nos balés da era Romântica.

Enredo[editar | editar código-fonte]

No primeiro ato, a aldeã Giselle está apaixonada por Albrecht, um nobre disfarçado de camponês. Quando Giselle descobre a fraude, ela fica inconsolável e morre.

No segundo ato, o amor eterno de Giselle por Albrecht, que vem a noite visitar seu túmulo, o salva de ter seu espírito vital tomado pelos willis espectrais, os fantasmas vampíricos de garotas noivas que morreram antes do dia do seu casamento, e sua rainha. Sempre que um homem se aproxima, elas obrigam-no a dançar até a morte. Giselle dança no lugar de Albrecht e, dessa forma, impede que ele chegue à exaustão, quebrando o encanto das willis. No final, ela o perdoa.

Autor[editar | editar código-fonte]

O poeta romântico Théophile Gautier é o autor do roteiro desse balé.

Mais a respeito[editar | editar código-fonte]

A versão que vemos hoje não é muito semelhante à original, onde a mais famosa dançarina da época, Fanny Essler, tinha cena louca lírica no final do primeiro ato. A morte de Giselle no primeiro ato foi adaptado por um ataque do coração, pois em sua primeira apresentação, Giselle se suicidava com uma espada. Essa primeira versão causou choque na época, por essa razão foi feita a mudança. Giselle saiu do repertório europeu até que foi revivido por Sergei Diaghilev em 1910, uma surpreendente mudança de ritmo para o balé russo de vanguarda. O papel de Giselle é um dos mais procurados no balé, já que exige tanto perfeição técnica quanto excelente graça e lirismo. Várias das mais habilidosas dançarinas representaram esse papel incluindo Svetlana Zakharova, Natalia Osipova, Aurea Hammerli, Ana Botafogo, Cecília Kerche, Carlotta Grisi (para quem Théophile Gautier criou o papel), Anna Pavlova, Tamara Karsavina, Cynthia Gregory, Galina Ulanova, Alicia Markova, Beryl Goldwyn, Antoinette Sibley, Margot Fonteyn e Natalia Makarova.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Desenhos Animados[editar | editar código-fonte]

Em Barbie e as Sapatilhas Mágicas, Barbie representa Giselle